Economia FMI pede manutenção das reformas para restaurar confiança no crescimento

FMI pede manutenção das reformas para restaurar confiança no crescimento

Christine Lagarde diz que o "crescimento está a abrandar". Em Xangai, na China, alertou que este ciclo "afecta os mercados financeiros e, por sua vez, baixa a confiança".
FMI pede manutenção das reformas para restaurar confiança no crescimento
Bloomberg
Lusa 26 de Fevereiro de 2016 às 08:17

A directora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, instou hoje os países do G20 a manterem o processo de reformas estruturais com o objectivo de restaurar "a confiança na recuperação a curto prazo".

 

"O crescimento (...) está a abrandar" em todo o mundo pelo que é importante continuar a falar das reformas, disse Lagarde, na abertura de um seminário na reunião de responsáveis financeiros do G20, iniciada hoje em Xangai, China.

 

A responsável do FMI sublinhou que o crescimento nos países mais avançados "continua a ser modesto" e está "em perigo" em algumas economias emergentes.

 

"Tudo isto afecta os mercados financeiros e, por sua vez, baixa a confiança" no estado da economia, pelo que "é importante aumentar a confiança sobre a recuperação a curto prazo", sublinhou.

 

Num evento posterior num fórum organizado pelo Instituto de Finanças Internacionais, em paralelo à reunião do G20, Lagarde instou estes países a actuarem na frente monetária, fiscal e das reformas estruturais, de forma "corajosa, ampla e conjunta".

 

"Não têm de apresentar uma nova receita, apenas têm de cumprir os seus compromissos com firmeza", disse a directora do FMI.

 

As intervenções de Lagarde ocorrem dois dias depois de o FMI ter divulgado um relatório no qual alerta que "existem maiores riscos de que a recuperação descarrile, numa altura em que a economia global é altamente vulnerável a choques adversos ".

 

O FMI baixou as suas previsões de crescimento da economia mundial, que agora são 3,4% para 2016 e 3,6% para 2017.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
policia reformado aos 55-60 anos s/cortes/penaliza 26.02.2016

A MELHOR REFORMA FOI PRA NOSSA CLASSE. SOMOS CIDADAOS DE 1ª AGUA.LEI DE APOSENTAÇÃO DO TEMPO DE SALAZAR

pub
pub
pub
pub