Economia Fogo de Pedrógão Grande é o mais mortífero nas últimas décadas

Fogo de Pedrógão Grande é o mais mortífero nas últimas décadas

Todos os mortos são civis, segundo as autoridades, e a maioria foi encontrada dentro de 15 viaturas numa estrada nacional entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera ou nas imediações deste local.
Fogo de Pedrógão Grande é o mais mortífero nas últimas décadas
Vítor Mota/Correio da Manhã
Lusa 18 de junho de 2017 às 10:49

O fogo que no sábado deflagrou no concelho de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, é um dos que mais vítimas mortais provocou nos últimos anos em Portugal, de acordo com um balanço da Lusa numa altura em que o número de mortos confirmados era ainda de 25 mortos. Entretanto o número de vitimas mortais já subiu para 57.

 

Todos os mortos são civis, segundo as autoridades, e a maioria foi encontrada dentro de 15 viaturas numa estrada nacional entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera ou nas imediações deste local.


Um incêndio há mais de 50 anos, em setembro de 1966, na serra de Sintra, que foi notícia em todo o mundo, provocou 25 vítimas mortais. Neste caso, morreram 25 militares do Regimento de Artilharia Anti-Aérea Fixa de Queluz (RAAF), quando tentavam combater as chamas.


Em 1985, em Armamar, 14 bombeiros foram apanhados pelas chamas e em 1986, em Águeda, o fogo provocou 16 mortos.

Mais recentemente, nos grandes incêndios de 2003, de norte a sul do país, morreram duas dezenas de pessoas.

Três anos depois, em 2006, no distrito da Guarda, cinco bombeiros chilenos morreram ao combaterem o fogo.


No ano 2012, centenas de incêndios registados provocaram seis mortos, quatro deles bombeiros.

Em agosto de 2013, quando se registaram mais de 7.000 incêndios, morreram nove pessoas - oito bombeiros e um civil - com 120 mil hectares de floresta ardida.


No ano passado, os incêndios na Madeira provocaram três mortos e destruíram 37 habitações, uma situação que levou o Governo a fazer um pedido de ajuda à União Europeia para o combate ao sinistro.




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 18.06.2017

Incompetência da proteção civil? Não é incompetência é assassinato! A causa está nas trovoadas secas. Miseráveis!!!!

Lamentável 18.06.2017

Vergonhoso a actuação da Protecção Civil tem de haver consequências nos responsáveis por estes Serviços a começar pela responsabilidade política chega de incompetência ...

Anónimo 18.06.2017

HÁ CRIMES QUE NÃO TÊM PERDÃO!
O PAÍS ESTA FARTO DE GESTORES DA TRAGÉDIA ALHEIA..

Anónimo 18.06.2017

Tantos jogos e traições para adquirir o poder e agora o inferno! Nada pode valer tudo. No mínimo deviam fugir para onde ninguém os tornasse a ver.

ver mais comentários
pub