Banca & Finanças Fosun e CaixaBank transmitem a Marcelo "grande satisfação" com actividade em Portugal

Fosun e CaixaBank transmitem a Marcelo "grande satisfação" com actividade em Portugal

O chefe de Estado recebeu na quinta-feira, em Belém, os presidentes do grupo chinês Fosun, detentor da Fidelidade, da Luz Saúde e principal accionista do Millennium BCP, e do grupo espanhol CaixaBank, accionista maioritário do BPI.
Fosun e CaixaBank transmitem a Marcelo "grande satisfação" com actividade em Portugal
Reuters
Lusa 12 de janeiro de 2018 às 21:31

Estas duas audiências foram divulgadas hoje, através de duas notas colocadas no portal da Presidência da República com a data de quinta-feira.

 

Numa das notas lê-se que "o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, em audiência, no Palácio de Belém, o presidente do CaixaBank, Jordi Gual, o presidente do Conselho de Administração do BPI, Fernando Ulrich, e o presidente da Comissão Executiva do banco BPI, Pablo Forero".

 

De acordo com a Presidência da República, "o presidente do CaixaBank manifestou grande satisfação com os resultados e actividade desenvolvida pelo BPI e reafirmou o compromisso do grupo CaixaBank com o desenvolvimento da economia portuguesa bem como a promoção de um programa de acção social em Portugal".

 

Numa segunda nota, lê-se que o chefe de Estado "recebeu, em audiência no Palácio de Belém, o presidente da Fosun, Guo Guangchang (na foto), a vice-presidente, Julia Gu, o representante do grupo Fosun em Lisboa, Lingjiang Xu, e o presidente da Companhia de Seguros Fidelidade, Jorge Magalhães Correia".

 

"Nesta audiência, o presidente da Fosun manifestou grande satisfação com as actividades que têm vindo a desenvolver em Portugal e manifestou a vontade de continuar a apoiar, de forma permanente e crescente, a economia portuguesa e o investimento em Portugal, em diversas áreas", refere a Presidência da República.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JCG Há 3 dias

A menos que os chineses tenham negócios na área da prostituição, armas, droga ou similares, o negócio com o investimento no BCP deve ser de longe o melhor que fizeram: em 1 ano viram o valor do dinheiro que investiram mais que duplicado. É obra! À custa do roubo de valor aos antigos acionistas.

julio Há 3 dias

Oh, Anónimo!
Realmente, corremos o risco de virmos a ser uma colónia chinesa!!!! Ahahahahah!
Se o ridículo matasse...
Não te trates, não!!

JCG Há 3 dias

O chinês tem razão para estar satisfeito: um país onde as autoridades - reguladores, supervisores ... - permitem e pactuam que os gestores do BCP, chefiados pela aquela figurinha com ar de betinho, façam manobras manhosas para favorecer o chinês, prejudicando milhares de outros acionistas...

Anónimo Há 4 dias

os espanhois por estarem na UE e serem um pais democratico o investimento é bom .. no caso dos chineses sendo um pais totalitàrio governado por uma ditadura comunista é um alto risco para Portugal corremos o risco de sermos uma colonia chinesa aliàs jà nao estamos assim tao longe

ver mais comentários
pub