Europa França e Alemanha exigem apoio público da Rússia e Ucrânia às tréguas acordadas

França e Alemanha exigem apoio público da Rússia e Ucrânia às tréguas acordadas

O Presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, exigiram hoje aos presidentes da Rússia e da Ucrânia que apoiem "pública e claramente" a trégua que acordaram na semana passada.  
França e Alemanha exigem apoio público da Rússia e Ucrânia às tréguas acordadas
Reuters
Lusa 28 de agosto de 2017 às 19:20

Num comunicado conjunto difundido hoje durante o encontro que mantiveram em Paris com o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, e o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, os líderes políticos também instaram Moscovo e Kiev a permitirem o trabalho dos observadores internacionais.

 

"Exigimos urgentemente ao Presidente Putin e ao Presidente Poroshenko que mantenham a sua palavra e apoiem de forma clara e pública a trégua" no conflito armado no leste da Ucrânia entre o seu exército e os separatistas pró russos, lê-se no comunicado citado pela agência de notícias espanhola Efe.

 

Para além disto, os dois líderes europeus que assinam o comunicado defendem também que Moscovo tem de assegurar que "as instruções correspondentes" ao cessar-fogo "sejam transmitidas aos militares e às forças no terreno".

 

Merkel e Macron recordaram o importante papel do grupo de contacto e "apelam a todas as partes para possibilitar que os observadores da OSCE tenham um acesso seguro e ilimitado" à zona de contacto.

 

A missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) tem vindo a denunciar "ameaças" ao seu pessoal e "limitações na liberdade de movimentos, especialmente nas zonas controladas pelo Governo ucraniano", recordaram os mandatários.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
5640533 Há 3 semanas

Lamento mas Trump e the laughing stock de America e do mundo. A taxa de aprovação dele é de apenas 33%. Historicamente mínima até no próprio partido rublicano. Os americanos elegeram uma caricatura..

General Ciresp Há 3 semanas

Entre o presidente americano e o frances venha o diabo e escolha:um diz muito e nao faz nada,o outro nada diz mas tambem nada faz.A gente fora da America nao diz bem de Trump ao contrario de mais de 50% dos americanos.Na Franca e fora dela o macrao nao para de escorregar.O momento de Franca ajodou-o

pub