Zona Euro França e Alemanha puxam pela economia do euro em Setembro

França e Alemanha puxam pela economia do euro em Setembro

A produção na indústria registou a maior subida dos últimos seis anos, enquanto a actividade dos serviços teve o maior aumento desde Maio.
França e Alemanha puxam pela economia do euro em Setembro
Bloomberg
Rita Faria 22 de setembro de 2017 às 09:57

A economia da Zona Euro está a terminar o terceiro trimestre do ano com uma expansão sólida, com o crescimento da actividade das empresas a registar uma das maiores subidas dos últimos seis anos. França e Alemanha, as duas maiores economias da região da moeda única, foram os países que mais se destacaram em Setembro.

O índice PMI da Zona Euro – que mede a actividade da indústria e dos serviços – subiu de 55,7 pontos, em Agosto, para 56,7 pontos, em Setembro, de acordo com a primeira estimativa avançada esta sexta-feira, 22 de Setembro, pela Markit Economics.

"A economia da Zona Euro terminou o verão com uma explosão da actividade, com o PMI a sinalizar um ímpeto renovado para as taxas já impressionantes de crescimento da produção, novas encomendas e emprego, em Setembro", afirma Chris Williamson, economista-chefe da Markit Economics, citado no relatório. "Os dados apontam para um crescimento do PIB de 0,7% no terceiro trimestre".   

As novas encomendas registaram a maior subida mensal desde Abril de 2011, depois de terem desacelerado nos dois meses anteriores, apontando para uma recuperação da procura.

O crescimento acelerou tanto na indústria como nos serviços. Ainda assim, a indústria continua a liderar o crescimento – com a maior subida da produção em mais de seis anos - enquanto a actividade dos serviços teve o maior aumento desde Maio.

Em França e na Alemanha, as taxas de expansão aceleraram para o nível mais alto dos últimos seis anos, com ambos os países a registarem melhorias nos "já impressionantes" ganhos ao nível do emprego registados nos meses anteriores, sublinha o relatório.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp 22.09.2017

Agora e a vez de portugal e a Grecia.Aliaz estes dois paises ja o faziam,so que de maneira diferente:os outros trabalham:engenham,inovam e progridem,e nos pagamos para tal.

PHAROL sobe por efeito OI ...só em Portugal 22.09.2017

Dizem que podem vir os chineses, com atitude abutre, de só quererem o melhor da Oi (o móvel), e no Brasil a OI baixou ontem na OIBR3, e estagnou na OIBR4. Ou seja, no Brasil não ligaram, mas em Portugal a Pharol já subiu cerca de 10% em 2 dias. Assim, está a PHAROL sozinha, pronta para ...descer.