Impostos França estuda imposto temporário para grandes empresas

França estuda imposto temporário para grandes empresas

A taxa - cuja criação não está decidida - seria aplicada a companhias com um volume de negócios anual superior a mil milhões de euros.
França estuda imposto temporário para grandes empresas
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 20 de agosto de 2017 às 22:10
O governo francês está a ponderar a introdução de um imposto temporário a aplicar a um número limitado de grandes empresas. A revelação foi feita pelo ministro da Economia, Bruno Le Maire, numa entrevista ao jornal Sud Ouest.

De acordo com a Bloomberg, que cita a publicação, o imposto adicional seria aplicado a "um número reduzido de empresas muito grandes".

"Debatemos uma solução temporária, que se aplicará apenas a alguns grandes grupos. Só serão abrangidos aqueles que tenham um volume de negócios superior a 1.000 milhões de euros; nenhuma PME será abrangida, afirmou o ministro, citado pelo site Boursorama, garantindo contudo que "nada está decidido".

O objectivo da subida seria compensar a perda de receita fiscal decorrente da decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia, em Maio, de julgar não conforme ao direito europeu um imposto adicional sobre as sociedades implementado no início do mandato do anterior presidente François Hollande e que rendia 2.000 milhões de euros por ano ao Estado. 

Nos excertos disponíveis na edição on-line do jornal, Le Maire garante que o seu consulado será marcado pela descida dos impostos para as empresas e as famílias.

"O objectivo fixado pelo chefe de Estado, pelo primeiro-ministro e pelo governo é o de reduzir os impostos para todos e valorizar o trabalho," afirma Le Maire.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 1 dia

QUANDO NÃO HÁ DINHEIRO...

pub