Europa França vai ter défice abaixo de 3% pela primeira vez numa década

França vai ter défice abaixo de 3% pela primeira vez numa década

O Ministério das Finanças francês deverá fechar o ano de 2017 com um défice orçamental inferior ao limite-máximo de 3% estabelecido pelas regras de Maastricht, cumprindo este objectivo pela primeira vez em 10 anos. Recuperação económica e consequente aumento das receitas fiscais justificam optimismo.
França vai ter défice abaixo de 3% pela primeira vez numa década
POOL
David Santiago 16 de janeiro de 2018 às 14:03

Após nove anos sempre a incumprir, a França deverá conseguir registar um défice orçamental em 2017 inferior ao limite de 3% do PIB, o que a confirmar-se será a primeira vez que tal acontece desde 2007.

 

Com base no reforço da recuperação económica, que por sua vez potenciou o aumento das receitas fiscais, o Ministério das Finanças gaulês anunciou esta terça-feira, 16 de Janeiro, que cortou a estimativa para o défice do ano passado para um valor inferior a 3%, o valor mais baixo desde 2008.

 

Esta era uma intenção anunciada do presidente Emmanuel Macron, que durante a campanha eleitoral do ano passado prometeu cortar o há muito excessivo défice gaulês. Macron considera vital recuperar a credibilidade do país, a começar pelo rigor nas contas, como primeiro passo para depois Paris poder liderar, em conjunto com Berlim, um programa de reformas ao nível da União Europeia.

 

Apesar de apenas em Março publicar as contas finais do ano passado, o crescimento económico acima do esperado verificado nos últimos meses de 2017 permite ao Ministério tutelado por Bruno Le Maire antecipar que o défice vai finalmente cumprir os limites definidos pelo Tratado de Maastricht.   

 

Le Maire revelou na segunda-feira que tanto no ano passado como em 2018 o PIB gaulês vai crescer acima dos 1,7% estimados para ambos os anos, o que desde logo permite também melhorar as perspectivas para o défice.

 

Além da recuperação económica e do acelerar da criação de emprego, a criação de novas empresas em Dezembro registou o melhor valor desde 2010.

 

O comissário europeu para os Assuntos Económicos, o francês Pierre Moscovici, realçou que os números conhecidos permitem antecipar que Paris vai cumprir os limites para o défice em dois anos consecutivos (2017 e 2018), o que abre a porta à perspectiva de que o país possa sair do procedimento por défices excessivos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciifrão Há 1 semana

Os socialistas e o menos socialistas nunca conseguiriam esta proeza, não sabem governar sem ter a mão na bolsa.

pub