Política Francisco Assis admite abandonar vida política daqui a dois anos

Francisco Assis admite abandonar vida política daqui a dois anos

O deputado municipal do PS Francisco Assis anunciou que não voltará a ser candidato autárquico e que, "muito provavelmente", abandonará a vida política daqui a dois anos.
Francisco Assis admite abandonar vida política daqui a dois anos
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 07 de setembro de 2017 às 07:22
"Considero encerrada a minha vida política autárquica. Não voltarei a ser candidato a nenhuma autarquia, seja em que circunstâncias for e, muito provavelmente, daqui a dois anos encerrarei a minha vida política", disse o também eurodeputado e ex-líder parlamentar do PS na sua "última intervenção" na Assembleia Municipal do Porto.

Francisco Assis foi candidato à liderança do PS contra o ex-secretário-geral do partido António José Seguro, em 2011. Assis viria, contudo, a apoiar Seguro nas eleições de 2014, nas quais foi derrotado pelo actual líder do partido, António Costa.

Na despedida, o socialista garantiu que apoia Manuel Pizarro, o candidato do PS à Câmara do Porto, mas deixou elogios ao actual presidente do município, o independente Rui Moreira, felicitando-o pela forma como exerceu as suas funções.

"Foi um bom presidente da Câmara do Porto, não tenho a mais pequena dúvida disso, contribuiu muito para afirmar o Porto", disse.

O eurodeputado referiu que nestes quatro anos de mandato de Rui Moreira houve uma "evolução notória", tendo ganho o Porto, a região Norte e o país.

Francisco Assis afirmou ainda esperar que se Manuel Pizarro vencer as eleições autárquicas exerça essas funções "melhor ainda".

Dizendo ter sido uma "grande honra" fazer parte da Assembleia Municipal do Porto, o socialista assumiu não ter sido um deputado "especialmente assíduo" devido à sua condição de eurodeputado, mas sublinhou que sempre que esteve presente fê-lo para servir o Porto e o PS, embora "nem sempre as duas coisas se associassem".

Assis votou favoravelmente a empresa municipal da Cultura, ao contrário do PS, permitindo assim a sua criação.



A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG 07.09.2017

É altura de começar a colher, multiplicando por 10 a sua remuneração actual: meia dúzia de lugares de administrador - daqueles onde não se faz nada e todavia fazem cair mensalmente na conta bancária uns largos milhares de euros - estão à sua espera. Como o tipo tem um certo ar de chinês, estou certo de que os chineses inventarão na EDP por exemplo um lugarzinho para ele. É que a maior parte do gangue que os chineses acolheram e pagam generosamente na EDP são moços do PSD e CDS e se estes partidos não voltarem rapidamente ao poder os chineses vão concluir que esses figurões tornaram-se inúteis e há que renovar a equipa com elementos da área do governo.

comentários mais recentes
eleitor 08.09.2017

Ontem já era tarde !

Criador de Touros 07.09.2017

Este sr. é que deveria ser o leader do PS.

Anónimo 07.09.2017

Podes abandonar, mas para mim já foste parte integrante da "quadrilha", em que o mais sério não chega à categoria do Duarte lima da Rosalina Ribeiro.

fcj 07.09.2017

Esta figura traidora, sinistra e macabra é bem o exemplo da sociedade política do centrão do que foi a gestão da sociedade portuguesa nos últimos 40 anos!! Parabéns cidade de Felgueiras!!! Esta personagem deverá ser objecto de cuidado e corajoso estudo sociológico e político!!!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub