Política Freitas do Amaral: O maior poder de Marcelo e a revisão constitucional

Freitas do Amaral: O maior poder de Marcelo e a revisão constitucional

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros e candidato à presidência da República diz que Marcelo Rebelo de Sousa está a exercer o seu mandato "através das televisões" e defende que depois das legislativas "será necessário equacionar o tema" da revisão constitucional".
Freitas do Amaral: O maior poder de Marcelo e a revisão constitucional
Bruno Simão
Negócios 03 de dezembro de 2017 às 13:13

"O professor Marcelo Rebelo de Sousa está a exercer o seu mandato presidencial através das televisões. Esse é o maior poder que se pode ter". É desta forma que Diogo Freitas do Amaral vê a forma como o actual Presidente exerce a sua influência, numa entrevista ao DN a propósito do lançamento do livro "Da Lusitânia a Portugal - Dois Mil Anos de História", onde volta a defender uma reforma da Constituição.

 

O antigo ministro dos Negócios estrangeiros entende que o actual momento político não é o mais propício: "Por enquanto não estão reunidas as condições políticas para se poder obter uma maioria de dois terços na Assembleia da República, pois tanto o PS como o PSD estão muito afastados um do outro." 


Mas acredita que essas condições podem vir a proporcionar-se. "Admito que nos próximos tempos haja uma evolução, aliás ambos os candidatos à liderança do PSD admitem alianças pontuais com o PS para pactos de regime", afirma. E diz que a questão da revisão constitucional vai impor-se: "depois das legislativas, será necessário equacionar o tema".


Diogo Freitas do Amaral não considera que Marcelo Rebelo de Sousa venha a impor a alteração do texto constitucional. Tal como não o tem feito, genericamente, em relação à governação:"Há de continuar a ser um Presidente activo - como anunciou na campanha eleitoral - mas, tirando um ou outro ponto discutível, não tem entrado na esfera do Executivo".


O antigo candidato presidencial acrescenta na entrevista ao DN que "se houver uma revisão constitucional, [Marcelo Rebelo de Sousa] sabe que é da competência exclusiva da Assembleia da República e não deixará cair uma palavra aqui ou acolá para influenciar".


Freitas do Amaral também não acha que o actual Presidente vá reclamar mais poderes, até "porque já percebeu que o maior poder do Presidente não está na Constituição mas quando fala ao povo e na percepção das suas necessidades".


E nisso, Marcelo Rebelo de Sousa distingue-se. "Ele foi o primeiro Presidente eleito pela televisão, numa campanha que durou mais de uma década através de intervenções semanais. Além de que neste momento, o professor Marcelo Rebelo de Sousa está a exercer o seu mandato presidencial através das televisões. Esse é o maior poder que se pode ter".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciifrão Há 1 semana

Os fantasmas nunca morrem.

Bia Há 1 semana

Endoidou, ou quer fazer prova de vida? Revisão constitucional? Foi a Constituição que nos safou...ter miudagem a rever a Constituição dará muito trabalho futuro aos advogados (e juízes)

Anónimo Há 1 semana

Na foto parece que o Freitas endoidou!

pub