Função Pública Funcionários e pensionistas do Estado vão receber metade do subsídio de Natal em duodécimos

Funcionários e pensionistas do Estado vão receber metade do subsídio de Natal em duodécimos

No próximo ano, metade do subsídio de Natal será pago em duodécimos aos funcionários públicos e aos pensionistas. O Governo prolonga em novos termos o regime que o primeiro-ministro tinha indicado que queria eliminar.
Funcionários e pensionistas do Estado vão receber metade do subsídio de Natal em duodécimos
Miguel Baltazar
Catarina Almeida Pereira 14 de Outubro de 2016 às 14:14

O regime de pagamento dos duodécimos vai ser estendido ao próximo ano, mas em termos distintos. Os funcionários públicos e os reformados do Estado vão receber só metade do subsídio de Natal em duodécimos, de acordo com a proposta preliminar de Orçamento do Estado para 2017.

Desde 2013 que o subsidio de Natal de funcionários e de pensionistas integralmente pago em duodécimos. O documento prevê que os funcionários públicos recebem 50% do subsídio de Natal em Novembro e que os pensionistas da CGA recebam 50% do subsídio de Natal em Dezembro. O resto será pago em duodécimos. 

Ao contrário do que acontece no privado, não está prevista neste documento qualquer possibilidade de opção. O ministério das Finanças afirmou esta semana que isso poderia gerar problemas informáticos.

O regime de duodécimos foi introduzido em 2013 para atenuar a percepção dos efeitos do "enorme aumento de impostos" e dos cortes salariais e nas pensões.

Antes das eleições, o primeiro-ministro tinha prometido anular a medida. A mesma proposta preliminar de orçamento para o próximo ano prevê que o regime desapareça em 2018. "A partir de 2018, o subsídio de Natal é pago integralmente, nos termos da lei", lê-se no documento. Trata-se de uma intenção que terá de ser confirmada no próximo ano.

No sector privado, o regime de duodécimos será estendido a 2017 nos mesmos termos em que sempre existiu: os trabalhadores vão poder optar entre receber metade do subsídio de Natal e metade do subsídio de férias em duodécimos ou, em alternativa, receber os subsídios na íntegra nas datas tradicionais.




A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos 14.10.2016

O que mais adoro nesta nossa Republica de ladrões e aldrabões é chamarem de subsidio a um salario, então o subsidio de ferias pagos aos reformados que estão de ferias todos os dias do ano é de partir o coco a rir.
Deveriam era somar os 14 salários anuais que atualmente se paga em Portugal e depois DIVIDIR por 12 pois um ano tem 12 meses, ou seja salario mensal = (14x salários aldrabados) / (12 meses do ano)

comentários mais recentes
Anónimo 14.10.2016



FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


UM EXEMPLO DE INJUSTIÇA QUE É URGENTE CORRIGIR

Um técnico superior reformado em 2005 pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) levou uma pensão de 2.026 euros consigo. Se se tivesse aposentado na mesma altura, com o mesmo salário, pelas regras da Segurança Social, teria levado para casa 1.512 euros.

Ora bem 500€ x 10 anos x 12 meses = 60.000€ a mais, que esse gajo já embolsou desde 2005, à custa de quem trabalha.
Rica mama.
Deve ser obrigado a devolver tudo.

Enganei-me nas contas, são 14 meses por ano, ainda lhe estava a perdoar 10.000€ (sortudo).
Afinal tem que devolver 70.000€.

Receber 70.000€ a mais, em 10 anos?
Isso dá para comprar um carro de 30.000€, de 4 em 4 anos.
Este é mesmo o país das maravilhas... para alguns.

Gatunos 14.10.2016

O que mais adoro nesta nossa Republica de ladrões e aldrabões é chamarem de subsidio a um salario, então o subsidio de ferias pagos aos reformados que estão de ferias todos os dias do ano é de partir o coco a rir.
Deveriam era somar os 14 salários anuais que atualmente se paga em Portugal e depois DIVIDIR por 12 pois um ano tem 12 meses, ou seja salario mensal = (14x salários aldrabados) / (12 meses do ano)

Anónimo 14.10.2016



PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.


Diallou Saliou Mamadou 14.10.2016

Merici...lideri...eropa....boniwiu...paz....tarawaye....psa.seral.........laguinee

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub