Segurança Social Fundo da Segurança Social dispara com aposta na dívida pública
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Fundo da Segurança Social dispara com aposta na dívida pública

O fundo de reserva da Segurança deverá ultrapassar confortavelmente os 15 mil milhões de euros de dotação este ano, um valor bem superior ao esperado. A explicação está sobretudo na dívida pública, que este ano permitiu uma valorização muito significativa na carteira.
Elisabete Miranda 13 de novembro de 2017 às 23:30

O fundo de reserva da Segurança Social vai crescer bem acima do esperado, à boleia do bom momento que a dívida pública atravessa, devendo a carteira fixar-se confortavelmente acima dos 15 mil milhões de euros. A opç

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado JCG 14.11.2017

Que é feito das manadas de espertalhaços, comentadores de todas as matizes, mais ou menos encartados, que há 4 ou 5 anos babaram rios de indignação pelo facto de a Seg Social portuguesa estar a investir os seus excedentes em dívida pública portuguesa? Preferiam esses imbecis que Portugal pagasse juros elevados ao exterior (e a taxa de juros média da dívida pública portuguesa ainda é superior a 3%) e que a S Social portuguesa comprasse dívida pública de países estrangeiros a taxas próximas de zero... que país de elites imbecis!...

comentários mais recentes
Jose otto Ferreira Pinto 05.01.2018

Continuo a ser um "espertalhaço " encartado pois mantenho que o Estado é um oportunista que lesa os interesses dos pensionistas transformando em dívida pública " e de um modo progressivo o capital do FEFSS ( superando já os 12 000 milhões de euros que não são contabilizados no OGE) .

Comprende-se a ignorância de alguns o 25.11.2017

que não se compreende é que façam gala da mesma.

Anónimo 14.11.2017

JCG no tempo do Passos as emissões de dívida pública eram sindicadas e os montantes mínimos de entrada eram 20 mil euros... portanto não vejo lógica no seu comentário. O processo foi assim montado de propósito para impedir os pequenos aforradores de entrarem nas OTs que davam mais de 11% de juros...

Por muito que custe aos Tristonhos 14.11.2017

Por muito que custe a Estes Infelizes, Macabros, Amantes da Desgraça, por muito que Rezem ao Diabo que os Pariu, Este Governo é o Melhor do Mundo, e venham as Eleições para o Povo poder dar uma Resposta ao PR, CDS,PSD,PCP e Bloco Esquerda.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub