Fundos comunitários Fundos europeus: Governo paga às empresas 2.000 milhões até final de 2018

Fundos europeus: Governo paga às empresas 2.000 milhões até final de 2018

O objectivo é que até final de 2018 os pagamentos às empresas, de fundos europeus, atinja dois mil milhões de euros, totalizando o investimento 3.000 milhões. O Governo volta a pedir um acordo dos partidos para as obras públicas.
Fundos europeus: Governo paga às empresas 2.000 milhões até final de 2018
Pedro Elias
Alexandra Machado 14 de outubro de 2017 às 00:05

O Governo compromete-se, no relatório da proposta do Orçamento do Estado que entregou esta sexta-feira, 13 de Outubro, a pagar incentivos às empresas no âmbito dos fundos europeus em 2018 um total de dois mil milhões de euros.

Tendo em conta a carteira de projectos aprovados na área de investigação e desenvolvimento, inovação e internacionalização e o nível da execução actual, o Governo aponta para 2018 a implementação de cerca de 1,2 mil milhões de euros de investimentos, o que elevará o investimento realizado em termos acumulados a mais de três mil milhões de euros.

E é este nível de realização efectiva de projecto que "permitirá pagamentos de incentivos às empresas que permitem fixar o objectivo a atingir em 2.000 milhões em Dezembro de 2018", lê-se no relatório que acompanha a proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano.

No final de 2017 deve chegar aos 1,25 mil milhões de euros, o que o Governo diz ser "o ano de maior execução de sempre nos apoios às empresas nos quadros comunitários".

O Governo diz ainda que em 2018 aprofundará as iniciativas com vista à preparação do período de programação dos fundos estruturais no pós-2020. E já a pensar no quadro comunitário depois de 2020, o Governo diz ter como objectivo "obter ampla aprovação da Assembleia da República ao Programa Nacional de Investimentos 2030, o qual constituirá a base para a preparação e negociação do novo quadro de apoios europeus pós-2020".












A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub