Américas Furacão Irma desce para categoria dois. Mais de 2 milhões de pessoas sem energia

Furacão Irma desce para categoria dois. Mais de 2 milhões de pessoas sem energia

Está confirmado um morto na Florida provocado pela passagem do furacão Irma. Mas a comunicação social fala em três vítimas mortais. A intensidade do Irma desceu para dois, numa escala de cinco, mas as autoridades realçam que continua a ser um furacão "poderoso".
Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Negócios com Lusa 10 de setembro de 2017 às 12:44

O furacão Irma, que atingiu este domingo em força o extremo sul da Florida com ventos de 215 quilómetros por hora, já causou pelo menos três mortes naquela região dos Estados Unidos, informaram meios de comunicação locais, citados pela Lusa. Confirmado há apenas um morto.

 

A Reuters revela que há cerca de 2 milhões de pessoas sem energia. A BBC adianta que mais de 6,3 milhões de pessoas foram aconselhadas a sair da Florida, devido à ameaça às suas vidas. Sendo que praticamente todo o Estado da Florida está sob alerta de furacão, o que afecta cerca de 36 milhões de pessoas.

O furacão que assolou o sul da Florida com uma intensidade quatro, numa escala máxima de cinco, já dimiuiu a sua intensidade para dois. Ainda assim, as autoridades continuam a alertar a população para a violência deste fenómeno. O centro de furacões dos EUA realça que, apesar da redução de intensidade, o Irma continua a ser um furacão "poderoso" enquanto passa pela costa oeste da Florida, segundo a Reuters.

 

O furacão Irma devastou várias zonas das Caraíbas, tendo provocado, pelo menos, 25 mortos, e arrasado com ilhas, como St. Martin, cujos relatos revelam que a passagem do furacão destruiu 95% da ilha.

 

A preocupação das autoridades não se restringe aos ventos fortes e a tempestade que provocam. A subida no nível de água é um foco de alarme. Os avisos são muitos para que as pessoas se mantenham protegidas e longe da rua, mesmo que os ventos diminuam. Isto porque há ainda outro perigo: a subida do nível de água, que se acontecer não será progressiva, poderá haver uma massa de água a entrar pelas zonas costeiras.

 

"Estou muito preocupado com a costa oeste" da Florida, afirmou o governador do Estado, Rick Scott, numa declaração na Fox News. Mais tarde, na ABC News disse: "Esta tempestade é mortal".

O mesmo responsável revelou que o presidente dos EUA, Donald Trump, já disse estar disponível para fornecer os recursos necessários para reconstruir a Florida após a passagem do Irma, segundo a Reuters.

Segundo a trajetória prevista pelo NHC no último boletim que divulgou, o olho do furacão deve atingir "à tarde e à noite a costa oeste da península da Florida". Prevê-se que na segunda-feira à tarde o furacão se desloque para o norte da Florida e sudoeste da Geórgia.

(Notícia actualizada, pela última vez, às 22:07 com informação sobre redução da categoria do furacão para dois)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Lamento o que estas pessoas estão a sofrer mas se tivessem uma" trovoada seca" e um COSTA (caça votos) a governar, veriam o holocausto que seria!

pub