Américas Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"

Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"

O director da agência federal de gestão de emergências alerta para o impacto que o fenómeno meteorológico - o segundo de grande envergadura a atingir território norte-americano no espaço de dias - terá este fim-de-semana em particular na Florida.
Furacão Irma "vai devastar os Estados Unidos"
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 08 de setembro de 2017 às 12:52
O furacão Irma, que nas próximas horas deverá chegar a território continental norte-americano, vai "devastar os Estados Unidos". A expressão é do director da FEMA - a agência federal de gestão de emergências -, que espera que a intensidade dos ventos e da chuva deixe várias zonas do Estado da Florida sem electricidade durante vários dias. 

Numa conferência de imprensa esta sexta-feira, 8 de Setembro, Brock Long reconheceu tratar-se de uma "previsão complexa" que só terá contornos nas próximas 72 horas, mas avisou que o furacão terá impacto não apenas na Florida mas também em estados do Sudeste do país, desde o Alabama até à Carolina do Norte. 

"Não é uma questão se a Florida vai ser impactada, é como é que vai sê-lo," acrescentou, apelando à população que está sob ordens de evacuação para que saia das zonas inundáveis e mais vulneráveis ao longo dos quatro a cinco dias em que o fenómeno fará previsivelmente a sua passagem por terra.

"Cada família da Florida deve preparar-se para a evacuação, independentemente da costa em que vivam," tinha apelado o governador do Estado, Rick Scott, citado pelo The New York Times, aludindo à evolução imprevisível da direcção do furacão.

Já Brock Long estima que 100 mil pessoas possam vir a precisar de ser deslocadas e de procurar abrigo alternativo durante a passagem da tempestade.

"Quando o Harvey chegou a terra no Texas progrediu pelo continente e enfraqueceu muito rapidamente. Contudo, o Irma pode reter muita da sua força," tinha afirmado minutos antes à Reuters o meteorologista Jason Setree, do Commodity Weather Group.

No Twitter, o presidente norte-americano reforçou o aviso que tem deixado nos últimos dias às populações das zonas que podem ser afectadas: "O furacão Irma tem proporções épicas, talvez maiores do que alguma vez vimos. Protejam-se e saiam da sua rota, se possível. O Governo Federal está pronto!", recordando ainda que a Guarda Costeira salvou mais de 15 mil vidas na semana passada aquando do Harvey mas que o Irma "pode ser ainda mais forte".



O Irma, o furacão mais potente registado até ao momento no Atlântico, deverá atingir as Florida Keys e o Sul da Florida no sábado à noite, depois de ter deixado um rasto de destruição nas ilhas de Saint Martin, São Bartolomeu e Porto Rico, fazendo cerca de duas dezenas de mortos. 

Além do Irma - cujos ventos chegaram aos 295 quilómetros por hora nas Caraíbas no grau máximo, mas que entretanto foi revisto em baixa para categoria 4 - há outros dois furacões a progredir em simultâneo no Atlântico, Jose e Katia.

(Notícia actualizada às 13:36 com mais informação)



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Três dos comentadeiros abaixo não têem a mínima ideia ideia do que é um furacão. Se suas tv derem mais do que novelas e futebol, podem ver devastação que já provocou, e ainda não passou por Cuba nem chegou à Florida. Já vivi bastantes desta situações em Miami e posso garantir que não é brincadeira.

Anónimo Há 2 semanas

Sanções para os furacões que atingirem os usa,afinal os norte coreanos podem deixar de produzir icbm e bombas nucleares, a natureza encarrega-se disso...

Anónimo Há 2 semanas

OXALÁ ARRANQUE O "CAPACHINHO" AO TRAMP!

Anónimo Há 2 semanas

O que este director da FEMA tem de fazer é ir direitinho ao sr. trampa e dizer-lhe mais uma vez que isto são as consequências das mudanças climatéricas provocadas pela poluição de que os USA são os maiores culpados... Há mais culpados (seremos todos) mas só ele (o Trampa) saíu dos acordos internacionais para travar a escalada poluidora...

ver mais comentários
pub