Mundo Furacão Matthew provoca pelo menos 400 mortos no Haiti

Furacão Matthew provoca pelo menos 400 mortos no Haiti

Pelo menos 400 pessoas morreram na sequência da passagem do furacão Matthew, no início da semana, no Haiti, declarou hoje um senador do departamento do Sul Hervé Fourcan, apresentando um balanço ainda provisório. 
Furacão Matthew provoca pelo menos 400 mortos no Haiti
Reuters
Lusa 07 de Outubro de 2016 às 15:58

Em muitas zonas afectadas, os acessos são muito difíceis e as autoridades não recolheram ainda todos os dados. A protecção civil do departamento do Sul regista um balanço de 315 mortos, mas este número não inclui as localidades de Camp Perrin, Les Anglais, Coteaux e Arniquet.

 

Toda a parte sul do país ficou alagada sob torrentes de água e sujeita a ventos muito violentos, por vezes durante várias horas.

 

O país está muito vulnerável às intempéries devido à forte desflorestação.

 

Os ventos e as chuvas inundaram milhares de casas, danificaram escolas, destruíram plantações, empresas, estradas e pontes. Mais de 29 mil casas ficaram destruídas só no sul.

 

Cerca de 80% dos edifícios de Jérémie, capital do departamento de Grand'Anse (sul), com perto de 30 mil habitantes, foram arrasados, de acordo com Jean-Michel Vigreux, diretor da organização não-governamental (ONG) Care Haiti.

 

Mais de 21 mil pessoas foram retiradas e 350 mil precisaram de assistência, de acordo com o gabinete de coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU.

 

Com as inundações, as autoridades receiam um forte aumento dos casos de cólera. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub