Economia Furto em Tancos: Marcelo diz-se preocupado com o tempo do apuramento dos factos

Furto em Tancos: Marcelo diz-se preocupado com o tempo do apuramento dos factos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou-se preocupado com o tempo do apuramento dos factos e eventuais responsabilidades no caso do furto de material militar dos paióis de Tancos, em Santarém.
Furto em Tancos: Marcelo diz-se preocupado com o tempo do apuramento dos factos
Cofina Media
Lusa 04 de setembro de 2017 às 21:13

"Não só é importante apurar factos e eventuais responsabilidades, como apurar num tempo que seja um tempo o mais curto possível, por um lado, para o prestígio da instituição militar, e por outro lado também para a própria actuação interna da instituição militar", afirmou o chefe de Estado, em resposta aos jornalistas, esta segunda-feira em Lisboa.

 

"Estou atento, acompanho o que se passa, e preocupa-me o tempo", acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa, que falava na associação Acreditar, de apoio a crianças e jovens com cancro, que visitou após ter estado no Regimento de Paraquedistas em Tancos, onde não prestou declarações.

 

O Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas começou por justificar que "não quis dizer nada lá, porque estava de visita a uma unidade, que era o Regimento de Paraquedistas e, portanto, não queria confundir com outra situação".

 

"Sobre essa outra situação, tenho a dizer que passaram dois meses e uma semana, precisamente, e eu continuo a acreditar que as entidades encarregadas da investigação criminal estão conscientes da importância do tempo, de como o tempo no apuramento dos factos e de eventuais responsabilidades é importante e de como as conclusões da investigação são importantes, para as Forças Armadas e até para a própria investigação por parte das Forças Armadas em termos internos", prosseguiu.

 

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que "há dois meses, mais ou menos" considerou sobre o furto de material militar em Tancos "que era preciso apurar tudo de alto a baixo, completamente, exaustivamente, quanto aos factos e responsabilidades".

 

"Portanto, o que considero hoje que há que dizer é que o tempo do apuramento, respeitando naturalmente a iniciativa das entidades de investigação criminal, é um tempo importante. É isso o que eu tenho a dizer neste momento, passados dois meses e uma semana", reforçou, escusando-se a falar "sobre dados concretos" deste caso.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Bem podes esperar sentado! Não te esqueças que depois das eleições autárquicas vêm as eleições legislativas e o golpista derrotado não quer perder votos! Portanto, vai esperando bem sentadinho e esquece os casos de Pedrógão Grande e Tancos!

General Ciresp Há 2 semanas

Teatro foclorico,Cada vez que encenas,Cavaco Silva barre-te como quem barre lixo.

pub
pub
pub
pub