Justiça Galp sem arguidos nas investigações das viagens ao Euro 2016

Galp sem arguidos nas investigações das viagens ao Euro 2016

A petrolífera nacional continua disponível para colaborar na investigação sobre as viagens ao Euro 2016. A empresa diz que nenhum dos seus quadros foi constituído arguido.
Galp sem arguidos nas investigações das viagens ao Euro 2016
Miguel Baltazar/Negócios
André Cabrita-Mendes 31 de julho de 2017 às 17:44
A Galp diz que continua disponível para colaborar com as autoridades na investigação sobre as viagens pagas a governantes durante o campeonato europeu de futebol em 2016. A investigação já levou à constituição como arguidos de três secretários de Estado, que entretanto se demitiram no âmbito deste caso. Nenhum quadro da Galp foi constituído arguido neste caso.

"Aguardamos serenamente o desenvolvimento da situação. A Galp tem colaborado com as autoridades e sempre o continuaremos a fazer", disse o presidente executivo da Galp durante a apresentação de resultados semestrais esta segunda-feira, 31 de Julho.

"A empresa actuou dentro da lei e usou práticas habituais e comuns a outros patrocinadores da selecção. A empresa abriu as suas portas e colaborou com as entidades oficiais", sublinhou Carlos Gomes da Silva. "Vamos aguardar e esperar, para prestar esclarecimentos se necessário".

Questionado sobre o facto deste caso só ter tido desenvolvimentos um ano depois do Euro 2016, o líder da Galp destacou que, "a surpresa não é só minha, a surpresa é global. Vamos deixar que a investigação se desenvolva serenamente".
O presidente da Galp voltou a reforçar que a empresa "cumpriu a lei e não deixou de fazer uma prática tradicional e comum".



Saber mais e Alertas
pub