Energia Gasolineiras querem menos impostos no gás engarrafado

Gasolineiras querem menos impostos no gás engarrafado

A ANAREC defende que a redução da taxa do imposto sobre produtos petrolíferos (ISP) e da taxa do IVA para o gás engarrafado seja contemplada na proposta de Orçamento do Estado para 2018 (OE2018).
Gasolineiras querem menos impostos no gás engarrafado
Lusa 08 de outubro de 2017 às 10:19
"Será muito importante a redução da taxa de ISP e da taxa de IVA [Imposto sobre o Valor Acrescentado] para o gás engarrafado", disse à agência Lusa o presidente da Associação Nacional dos Revendedores de Combustíveis (ANAREC), Francisco Albuquerque.

E prosseguiu: "Uma vez que há alguma folga no Orçamento, seria muito positivo mexer na tributação indirecta, já que se fala tanto em justiça social e devolução de rendimentos".

"Estas medidas seriam muito bem-vindas e beneficiariam os cidadãos, as empresas e a economia em geral", afirmou o responsável.

Em relação ao IVA do gás engarrafado, a ANAREC veria a descida deste imposto como "uma medida muito positiva", pois o gás engarrafado é para muitas famílias "quase um bem de primeira necessidade".

O responsável disse que a ANAREC tem também insistido para que "o talão de venda [dos postos de abastecimento de combustíveis] passe a discriminar o valor do ISP", tal como acontece com o IVA, pois "as pessoas têm o direito de saber o que estão a pagar".

Assim, acrescentou Francisco Albuquerque, os cidadãos "ganham maior consciência" de que a carga do ISP em Portugal "é uma das maiores da Europa".

Sobre o sector e as empresas revendedoras, o presidente da ANAREC alertou para o facto de estarem "a viver dias muito difíceis", o que tem a ver com "a cada vez menor rentabilidade dos seus negócios".

"A redução da rentabilidade é justificada, em grande parte, pela elevada carga fiscal e as margens comerciais que são cada vez menores", justificou o responsável.

A proposta de OE2018 será entregue no parlamento no dia 13 de Outubro.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ricky Há 1 semana

As gasolineiras querem e merecem ter uma AdC que efectivamente funcione, seja imparcial e objectiva de forma a evitar o que atualmente se passa a vista de todos, a concertação dos preços muito acima do justo e razoavel para que tenham uma margem de lucros decente.

General Ciresp Há 1 semana

Que texto tao mal encabecado.Se nele nao esta a perda que o estado tem com a descida desejada,nada feito:quem e do teatro nao percebe um corno de conta.

pub
pub
pub
pub