Saúde Gates doa 100 milhões para combater Alzheimer e demência

Gates doa 100 milhões para combater Alzheimer e demência

As doações vão ser feitas a título pessoal e não através da Fundação Bill & Melinda Gates, o veículo habitual para as acções de filantropia do casal.
Gates doa 100 milhões para combater Alzheimer e demência
reuters, bloomberg
Negócios com Reuters 13 de novembro de 2017 às 14:05

Bill Gates, fundador da Microsoft e um dos homens mais ricos do mundo, anunciou esta segunda-feira que vai investir 100 milhões de dólares para reforçar os estudos de descoberta da cura de duas doenças.

 

O bilionário vai investir 50 milhões de dólares no Dementia Discovery Fund, um fundo de capital de risco detido pela indústria da saúde e por organizações governamentais, que tem como objectivo descobrir tratamentos para esta doença que afecta o cérebro.


Serão investidos outros 50 milhões de dólares em start-ups que estão a tentar desenvolver a cura para o Alzheimer.

 

Estas doações vão ser feitas a título pessoal e não através da Fundação Bill & Melinda Gates, o veículo habitual para as acções de filantropia do casal.

 

"É um grande problema e que está a crescer, sendo que a escala da tragédia – mesmo para as pessoas que continuam vivas – é muito elevada," afirmou Gates à Reuters.

 

Apesar de décadas de estudo, não existe ainda um tratamento que possa abrandar a progressão do Alzheimer, sendo que os medicamentos existentes apenas atenuam alguns dos sintomas. Gates mostra-se optimista que, com o financiamento adequado, será possível chegar a uma descoberta, mesmo que não seja para já.

 

"Provavelmente poderá demorar 10 anos antes de termos sucesso, pelo que é difícil dizer agora quando será produzido um medicamento eficaz", afirmou Gates.

 

A demência, que tem no Alzheimer a forma mais comum, afecta cerca de 50 milhões de pessoas em todo o mundo. As estimativas apontam para que possa atingir 131 milhões de pessoas em 2050.




pub