Conjuntura Gigantes aceleram e Portugal cresce em linha com o euro

Gigantes aceleram e Portugal cresce em linha com o euro

O Eurostat confirmou o crescimento de 2,5% da economia da Zona Euro, o que significa que Portugal ficou em linha com a média dos países da moeda única. Os gigantes europeus aceleraram, permitindo superar o crescimento norte-americano.
Gigantes aceleram e Portugal cresce em linha com o euro
Reuters
Nuno Aguiar 14 de novembro de 2017 às 10:20

Alemanha, França e Itália. As três maiores economias da Zona Euro têm em comum terem acelerado no terceiro trimestre, contribuindo para um aquecimento da actividade entre os países da moeda única. Em termos homólogos, o PIB da Zona Euro avançou 2,5%.

 

O resultado francês já era conhecido, tendo apresentado um crescimento de 2,2% (1,8% nos três meses anteriores), mas Alemanha e Itália surpreenderam pela positiva os analistas. A economia germânica cresceu 2,8% (2,3% no trimestre anterior), enquanto Itália avançou 1,8% (1,5% no anterior), mostram os dados publicados esta manhã pelo Eurostat. Além destas acelerações nas três maiores potências económicas, Espanha manteve um desempenho forte, avançando 3,1%.

 

Estes fortes resultados explicam grande parte melhoria do crescimento da Zona Euro, que saltou de 2,3% para 2,5%. Um desempenho que fica em linha com a variação do PIB conhecida hoje para Portugal. 

Ao contrário do que aconteceu na última década de meia, a economia portuguesa não está no fundo da tabela. Porém, está também longe das mais rápidas. Segundo o Eurostat, as economias do euro que cresceram ao ritmo mais rápido no terceiro trimestre foram a Letónia (6,2%), o Chipre (3,9%), a Finlândia (3,6%), a Lituânia e a Eslováquia (ambas com 3,4%). Do lado oposto do espectro, Bélgica e Itália são os que crescem ao ritmo menos veloz, com registos de 1,7% e 1,8%, respectivamente. 



Essa é a análise homóloga. De uma perspectiva em cadeia - comparação de um trimestre com o anterior - a Zona Euro cresceu 0,6% no terceiro trimestre, o que representa um ligeiro abrandamento face aos 0,7% dos três meses anteriores.


Os dados conhecidos hoje reforçam o optimismo que tem rodeado a economia do euro nos últimos meses, com a actividade a acelerar e até a superar os resultados dos Estados Unidos e do Reino Unido. Recorde-se que a economia americana e britânica avançaram no terceiro trimestre 2,3% e 1,5%, respectivamente. A União Europeia apresenta a mesma variação que a média dos países do euro, tanto em cadeia como em termos homólogos.

O crescimento alemão foi especialmente bem recebido esta manhã, tendo conseguido aproximar-se dos 3%. Se o motor da Europa está a acelerar, isso são boas notícias para o resto da moeda única.

"Nunca está cansado de boas notícias? Então espreite os últimos dados de PIB da Alemanha. A economia continua o seu ciclo dourado, conseguindo maior um bom desempenho do crescimento no terceiro trimestre", sublinha Carsten Brzeski, do ING. "Mesmo que a economia estagne no último trimestre do ano, o crescimento do PIB para a totalidade do ano ficaria na mesma em 2,4%; o mais elevado desde 2011."

 

(Notícia em actualização)




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Finlândia, esse lugar tão pobre, injusto e atrasado, com taxas de juro negativas a 10 anos ( http://www.afr.com/markets/debt-markets/finlands-10year-bond-yield-turns-negative-20160927-grpzqz ). E isto não tem nada a ver com este tipo de actuação: "The number of University staff will reduce by approximately 980 by the end of 2017." ( https://www.helsinki.fi/en/news/the-university-of-helsinki-terminates-570-employees-overall-staff-cuts-total-980 ); "Aalto University announced on Friday that it will shed a total of 316 positions by the end of 2018." ( www.helsinkitimes.fi/finland/finland-news/domestic/13754-aalto-university-to-lay-off-188.html ); "Digitalization has already reduced overall delivery volumes to the level of the 1960s. Therefore, we must adapt and reform our operations in order to ensure that Posti will still maintain its financial capability to build new business in order to compensate for mail delivery." https://www.apex-insight.com/posti-sees-job-cuts-in-the-offing/

comentários mais recentes
luis Há 1 semana

estamos a crescer ao nivel da zona EURO e é mau para alguns. o anonimo que gosta da finalandia esse pais que como todos sabemos tem baixos salários e aposta na mao de obra barata...

Anónimo Há 1 semana

Lá está o Anónimo dos excedentários a mentir como sempre faz!!

Pessoal não se deixem enganar por este comentador profissional.

Escrevam no Google taxas de juro Países Europeus ou procurem à vossa maneira e não vão na cantiga do do Bandido!!

Esses Países já pagam quase 1% a 10 anos!

1904 Há 1 semana

O que Portugal progrediu nos últimos dois anos..Quem diria que em 2017 íamos crescer tanto quanto a Alemanha e mais do que a França, Bélgica, Itália etc.

Quando no final de 2015 que Portugal crescia a 1,6% disseram que vinha o Diabo e esse crescimento ia baixar de 1%.

Afinal havia alternativa

1904 Há 1 semana

O que Portugal progrediu nos últimos dois anos..Quem diria que em 2017 íamos crescer tanto quanto a Alemanha e mais do que a França, Bélgica, Itália etc.

Quando no final de 2015 que Portugal crescia a 1,6% disseram que vinha o Diabo e esse crescimento ia baixar de 1%.

Afinal havia alternativa

ver mais comentários
pub