Economia GOP2018: Cobertura do SIRESP vai ser reforçada

GOP2018: Cobertura do SIRESP vai ser reforçada

Um reforço da cobertura do SIRESP, a ampliação do projecto de georreferenciação e a implementação do SIRESP ST, para uma localização exacta das ocorrências, constam da Grandes Opções do Plano do Governo.
GOP2018: Cobertura do SIRESP vai ser reforçada
Cofina Media
Lusa 15 de setembro de 2017 às 20:28

No documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, consta o reforço da resiliência, redundância e cobertura do Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), a ampliação do projecto de georreferenciação e a implementação do SIRESP ST, que permitirá uma localização exacta das ocorrências.

 

Está também previsto o reforço das comunicações de dados da Rede Nacional de Segurança Interna e da cibersegurança no Ministério da Administração Interna.

 

Na área da segurança interna, o Governo aponta como prioridade estratégica para a próxima legislatura a modernização e capacitação das Forças e Serviços de Segurança (FSS).

 

Em 2018, as orientações relativas às políticas de segurança interna, de controlo de fronteiras, de protecção e socorro e de segurança rodoviária, são concretizadas através da continuidade da implementação da nova geração de Contratos Locais de Segurança.

 

Está também prevista uma melhoria nos Programas Especiais de Policiamento de Proximidade e na implementação de várias medidas de segurança escolar, a desenvolver no âmbito do Grupo Coordenador da Escola Segura e uma revisão do Regime Jurídico dos Conselhos Municipais de Segurança e ainda ações de formação conjunta e partilhada entre FSS.

 

O Governo tem ainda prevista a aquisição de 1.900 novos veículos para as FS, entre 2018 e 2021.

 

No âmbito da protecção e socorro, o documento refere a intenção de haver um reforço da capacidade de monitorização e gestão dos riscos, dos sistemas de alerta e de aviso às populações e do envolvimento dos cidadãos para consolidar o sistema de protecção civil e da criação de comunidades resilientes a catástrofes.

 

O Governo quer também aumentar a capacidade e a resposta operacional através das Equipas de Intervenção Permanente, do empenhamento do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS), da Força Especial de Bombeiros (FEB) e das Forças Armadas.

 

Neste âmbito, está prevista a valorização dos bombeiros como agentes de protecção civil, implementando novas regras de financiamento das AHBV bem como o cartão social do bombeiro e os novos regimes jurídicos referentes aos estatutos e carreiras dos bombeiros profissionais e dos bombeiros voluntários.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.09.2017

É isso mesmo. Dêem mais (supostas) responsabilidades e mais dinheiro a esse irresponsável e incompetente SIRESP porque ele já demonstrou merecê-lo. Porra, se não têm capacidade para governar este minúsculo pedaço de terra, que entreguem a sua administração aos espanhóis, mas sem luvas nem comissões.

pub