Economia Governo admite helicópteros e drones na fiscalização de velocidade na estrada

Governo admite helicópteros e drones na fiscalização de velocidade na estrada

O Governo pondera vir a usar helicópteros da Proteção Civil ou 'drones' para fazer controlo de velocidade nas estradas, admitindo também instalar mais radares e inibir o sinal de telemóvel ao volante.
Governo admite helicópteros e drones na fiscalização de velocidade na estrada
Manuel Azevedo/Cofina Media
Lusa 23 de janeiro de 2018 às 13:54

O secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, falava aos jornalistas à margem da apresentação de um estudo sobre condutores do Automóvel Clube de Portugal de medidas para contrariar o "preocupante" aumento do número de mortos nas estradas no ano passado, travando uma tendência de cada vez menos sinistralidade grave.

 

"É uma das soluções seguidas em Espanha e França e há a possibilidade também cá termos esse modelo", declarou, afirmando que há "tecnologias muito evoluídas" e relativamente simples que poderão equipar "os helicópteros que estão ao dispor da Autoridade Nacional de Proteção Civil" para serem usados na fiscalização de velocidade.

 

Numa avaliação prévia, o Governo está a encará-la como "uma boa solução" para enfrentar o problema da velocidade excessiva que provoca acidentes.

 

A tutela estuda também "aplicações com as operadoras para diminuir o uso de telemóvel", incluindo "inibições de sinais" com respostas automáticas para chamadas recebidas que indicam que "o condutor está ao volante e não pode atender a chamada".

 

Assim se pretende evitar "um dos principais factores de acidentes, as colisões e despistes que resultam, não da estrada, mas do uso do telemóvel.

 

As soluções mãos livres podem "limitar o uso da mão, mas não resolvem o problema da distracção".

 

"O alargamento da rede de radares, reduzir o limite de velocidade para 30 quilómetros por hora em alguns locais e a georreferenciação de locais de acidentes recorrentes" são outras medidas que se admitem para cumprir o Plano Nacional de Segurança Rodoviária e voltar a reduzir os números da sinistralidade.

 

Segundo números provisórios da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, em 2017 morreram 509 pessoas nas estradas portuguesas, mais 64 do que em 2016, e os feridos graves aumentaram de 2102 para 2181.

 

José Artur Neves salientou o facto de 54% das mortes terem ocorrido dentro de localidades.




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

GOSTO MUITO DISTO AQUI, COMO DIZIA O OUTRO.
JÁ VIRAM QUE ISTO VAI PARECER UM FILME AMERICANO!
O FULANO DO HELICÓPTERO A FALAR AO MEGAFONE:
O SR AÍ EM BAIXO É FAVOR ENCOSTAR Á BERMA PORQUE VAI A 35 KM/HORA!
NOS INTERVALOS OS HELI IRÃO TRANSPORTAR MAIS UM FERIDO GRAVE QUE FOI ATROPELADO NUMA QUALQUER AVENIDA.
JÁ QUANTO AO USO DO TELEMÓVEL E, SE AS OPERADORAS DEIXAREM, ESTOU DE ACORDO NÃO QUE DIMINUA O USO COMO DIZ AÍ O PAPAGAIO, MAS QUE TERMINE MESMO!
MEIAS-TINTAS, NÃO!
ESTOU A AGUARDAR.

comentários mais recentes
pertinaz Há 4 semanas

OS COPOS NAS MÃOS DIZEM TUDO...!!!

Anónimo Há 4 semanas

GOSTO MUITO DISTO AQUI, COMO DIZIA O OUTRO.
JÁ VIRAM QUE ISTO VAI PARECER UM FILME AMERICANO!
O FULANO DO HELICÓPTERO A FALAR AO MEGAFONE:
O SR AÍ EM BAIXO É FAVOR ENCOSTAR Á BERMA PORQUE VAI A 35 KM/HORA!
NOS INTERVALOS OS HELI IRÃO TRANSPORTAR MAIS UM FERIDO GRAVE QUE FOI ATROPELADO NUMA QUALQUER AVENIDA.
JÁ QUANTO AO USO DO TELEMÓVEL E, SE AS OPERADORAS DEIXAREM, ESTOU DE ACORDO NÃO QUE DIMINUA O USO COMO DIZ AÍ O PAPAGAIO, MAS QUE TERMINE MESMO!
MEIAS-TINTAS, NÃO!
ESTOU A AGUARDAR.

BORIS Há 4 semanas

Tanta burrice..
Só negócios - cheira a comissões à distância. O que ganham em multas não dá para o combustível do helicóptero........e quem paga o investimento.
Usem a cabeça ....... poupem na asfaltagem das estradas e o pessoal passa a andar devagar..........ganham a dobrar assim!!!!! Burros

pertinaz Há 4 semanas

ESCUMALHA DE DITADORES DE PACOTILHA...!!!

ver mais comentários
pub