Ambiente Governo admite risco de corrida à plantação de eucaliptos

Governo admite risco de corrida à plantação de eucaliptos

O ministro da Agricultura diz em entrevista ao Diário de Notícias que a Quercus pode ter razão quando afirma que há o risco de, até à entrada em vigor da nova Lei, em Fevereiro, haver uma corrida à plantação de eucaliptal, ainda sem as futuras limitações.
Governo admite risco de corrida à plantação de eucaliptos
Miguel Baltazar
Negócios 03 de novembro de 2017 às 10:52

"Esse risco existe, efectivamente", afirma Capoulas Santos. O risco é que os produtores, para aproveitarem a lei agora em vigor, avançarem com elevadas plantações de eucaliptos antes da entrada em vigor da nova lei, que trará limitações, mas só produzirá efeitos em Fevereiro do próximo ano.

 

Numa entrevista ao Diário de Notícias, publicada esta sexta-feira, 3 de Novembro, o Ministro da Agricultura lamenta que a lei não entre mais cedo em vigor, mas diz que isso é responsabilidade do Parlamento, que foi quem legislou.

 

Entretanto, o Executivo nada pode fazer a tem mesmo aprovado novas plantações, desde que cumprindo os requisitos actualmente exigíveis ao abrigo da lei em vigor, conhecida como "lei Cristas" que, lembra Capoulas Santos, "de alguma forma liberalizou a plantação de eucaliptos".

 

A nova lei, recorde-se, que permitirá  a transferência de áreas de produção de eucalipto, de locais com maior risco de incêndio e menos produtivas, para outras zonas mais produtivas, mas mantendo-se, no computo final, as mesmas quantidades em termos de hectares plantados. Dessa forma, acredita o Governo, poderá ser contido o aumento de plantação desta espécie que, não sendo autóctone, é mais atreita a incêndios. 




pub