Autarquias Governo alarga a mais municípios apoios à reconstrução após incêndios

Governo alarga a mais municípios apoios à reconstrução após incêndios

Os concelhos onde a área ardida supera 4.500 hectares ou onde mais de 10% da área do concelho foi consumida pelo fogo vão poder aceder ao Fundo de Emergência Municipal. Mais 20 autarquias podem beneficiar desta ajuda.
Governo alarga a mais municípios apoios à reconstrução após incêndios
Movenoticias
Marta Moitinho Oliveira 07 de setembro de 2017 às 14:02
O Governo decidiu alargar a um número maior de autarquias o apoio previsto no Fundo de Emergência Municipal (FEM). Mais 20 câmaras vão poder contar com esta ajuda para reconstruir os equipamentos municipais destruídos na sequência de fogos florestais. Ao mesmo tempo, o Executivo decidiu rever a proposta de pedido de ajuda à Comissão Europeia, alargando-o às áreas afectadas em toda a região Centro e não apenas aos sete concelhos da zona de Pedrógão Grande.

"Foi aprovada uma resolução que reconhece como condições excepcionais os incêndios florestais ocorridos ou que venham a ocorrer em 2017 em que se verifique uma área ardida igual ou superior a 4.500 hectares ou que corresponda a 10% da área do respectivo concelho", anunciou a ministra da Presidência, na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros. 

"Estas duas novas condições vão permitir aos municípios recorrer ao FEM sem verificação do requisito de situação de calamidade pública", acrescentou esta quinta-feira, 7 de Setembro. 

O ministro adjunto, Eduardo Cabrita, que tem a tutela das autarquias, explicou que a decisão adoptada completa a que foi tomada em 12 de Julho relativamente aos sete
 municípios designados como zona de Pedrógão. 

O governante justificou outras áreas da região Centro e de outras zonas tiveram em Julho e em Agosto incêndios de "dimensão significativa".  

De acordo com dados até final de Agosto, naqueles concelhos verificou-se mais de 4.500 hectares de área ardida ou mais de 10% da área do concelho ardida.

O FEM serve para "reconstituição de equipamentos da competência das autarquias locais destruídas" com fogos florestais. 

Esta alteração permite o "alargamento da possibilidade de recurso ao FEM aos municípios de Abrantes, Alijó, Castelo Branco, Coimbra, Covilhã, Gavião, Guarda, Freixo de Espada à Cinta, Ferreira do Zêzere, Fundão, Mação, Mangualde, Nisa, Oleiros, Proença-a-Nova, Resende, Sardoal, Torre de Moncorvo, Vila de Rei e Vila Velha de Ródão". 

O ministro adiantou que o levantamento dos equipamentos que serão abrangidos será feito pelas comissões de coordenação regional e acrescentou também que "visando o alargamento das condições de financiamento à recuperação destes equipamentos", o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, "apresentou já à Comissão Europeia uma alteração ao pedido de candidatura de Portugal aos Fundo Europeu de Solidariedade". 

Esta revisão permite o "alargamento a toda a região Centro" face à candidatura anteriormente apresentada. A nova proposta foi apresentada hoje em Bruxelas, mas o ministro não quis acrescentar detalhes, explicando apenas que o Governo quer contribuir para a reconstrução de forma "integrada", incluindo também o Ministério da Agricultura.

Lista dos novos municípios que podem aderir ao FEM:
Abrantes
Alijó
Castelo Branco
Coimbra
Covilhã
Gavião
Guarda
Freixo de Espada à Cinta
Ferreira do Zêzere
Fundão
Mação
Mangualde
Nisa
Oleiros
Proença-a-Nova
Resende
Sardoal
Torre de Moncorvo
Vila de Rei
Vila Velha de Ródão




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Oh Saraiva 14/Mr. Tuga/Surpreso Há 1 semana

Não quero dinheiro de estangeiros, desaparece daqui para fora e rapidinho.

Palhaçada Há 1 semana

Quem tem despesa maior que 10 mil tem que se coletar nas finanças, pedir mil carimbos. Ou seja o dinheiro não lhes vai chegar tal o mar de burocracia. UMA VERGONHA

A ferro e fogo Há 1 semana

Grande negócio !

Mr.Tuga Há 1 semana

Tipico tugas IRRESPONSAVEIS!

Toca a despejar guita e beneficiar os porc*os DESLEIXADOS!
De mim nem 1 cêntimo!!!

ver mais comentários
pub