Empresas Governo assina 12 contratos de investimento de 160 milhões

Governo assina 12 contratos de investimento de 160 milhões

A criação de 358 postos de trabalho em seis anos, com destaque para Águeda, é um dos objectivos dos 12 contratos fiscais de investimento aprovados em Conselho de Ministros. Está em causa a atribuição de benefícios fiscais.
Governo assina 12 contratos de investimento de 160 milhões
Diogo Cavaleiro 14 de setembro de 2017 às 14:06

Em Águeda, haverá uma nova unidade industrial para produzir componentes para automóveis. É da responsabilidade da Sakthi Portugal, empresa detida pelo grupo indiano com o mesmo nome que já está aí localizada. As previsões apontam para que, nos próximos seis anos, este investimento de 36,7 milhões de euros venha a gerar 135 postos de trabalho.

 

O projecto da Sakthi Portugal – para a "produção de componentes de segurança crítica em ferro nodular para automóveis" – é um dos 12 contratos fiscais de investimento que foram aprovados esta quinta-feira, 14 de Setembro, em Conselho de Ministros. Ao todo, estão em causa 160 milhões de euros, prevendo-se 358 novos empregos em seis anos, ou seja, até 2023.

 

Segundo comunicado pelo Ministério da Economia, enviado após a reunião do Conselho de Ministros, os contratos em causa prevêem "uma atribuição de benefícios fiscais em sede de IRC, IMI, Imposto de Selo e IMT".

 

O investimento do grupo com sede na Índia é o mais relevante em termos de montante e de criação de empregos. Mas não é o único; mesmo naquela cidade do distrito de Aveiro há um investimento da Fundifás – Fundição, de 7,8 milhões de euros, que estima a criação de 20 postos de trabalho, e um outro da Epalfer, de 4,8 milhões, com a empresa de serralharia de moldes a prever a criação de seis novos empregos.

 

Após o projecto da Sakthi, surge a TEC Pellet, num investimento que já tinha sido anunciado pelo empresário Avelino Reis ao Expresso, no valor de 30,7 milhões de euros, que visa aumentar a capacidade produtiva da unidade de Póvoa do Varzim e que passa por 23 novos empregos.

 
Em Oliveira de Azeméis, a DMM, do sector dos automóveis, é responsável por dois contratos, avaliados em 10,3 milhões, com uma criação conjunta de 24 postos de trabalho. 


Braga, Vila Velha de Rodão, Sousel e Coimbra são outras das localidades em que haverá investimentos referentes aos contratos fiscais aprovados pelo Governo. Alverca, acima de Lisboa, é a cidade mais a sul que recebe um destes projectos - no caso, o da OGMA, para "implementação de uma nova actividade operacional na empresa, distinta das áreas de fabricação e montagem de aeroestruturas." 

Os 12 contratos fiscais de investimento

No comunicado divulgado, o Governo especifica as empresas beneficiadas nestes contratos fiscais de investimento, elencando o investimento previsto, os postos de trabalho estimados e a localização. 

"OGMA: 9,9 milhões de euros, 28 postos de trabalho, Alverca
Este projecto tem por objectivo diversificar as áreas de negócio da OGMA, através da implementação de uma nova actividade operacional na empresa, distinta das áreas de fabricação e montagem de aeroestruturas e de manutenção aeronáutica nas quais a empresa actualmente opera.

TEC PELLET: 30,7 milhões de euros, 23 postos de trabalho, Póvoa do Varzim
Este investimento visa aumentar a capacidade produtiva da unidade industrial recorrendo a inovações do processo produtivo, através da adição de novas funções e aplicabilidades. Com este investimento serão incorporadas novas tecnologias produtivas não existentes em Portugal e novos sistemas de planeamento e gestão da produção.

SAKTHI PORTUGAL: 36,7 M€, 135 postos de trabalho, Águeda
O projecto de investimento a implementar visa a criação de uma nova unidade industrial autónoma para a produção de componentes de segurança crítica em ferro nodular para automóveis.

Painel 2000: 7,5 M€, 21 postos de trabalho, Braga
Investimento em duas novas linhas de produção de novos produtos, possibilitando o aumento da eficiência da empresa e um acréscimo significativo da sua capacidade e produtividade.

Paper Prime: 24,6 M€, 45 postos de trabalho, Vila Velha de Rodão
Investimento a criação de uma unidade industrial para o fabrico de papel tissue.

Fundifás – Fundição: 7,8 M€, 20 postos de trabalho, Águeda
Investimentos que irão permitir um aumento da eficiência produtiva e a redução dos custos de produção.

DMM - Desenvolvimento, Maquinagem e Montagem: 5,2 M€, 8 postos de trabalho, Oliveira de Azeméis.
Investimento que vai permitir desenvolver a actividade de fabricação de componentes para automóveis

DMM - Desenvolvimento, Maquinagem e Montagem: 5,1 M€, 16 postos de trabalho, Oliveira de Azeméis.
Investimentos que visa permitir desenvolver a actividade de fabricação de suportes e elementos mecânicos para viaturas automóveis.

Epalfer - Serralharia de Moldes, Cunhos e Cortantes: 4,8 M€, 6 postos de trabalho, Águeda
Investimento para a construção de uma nova unidade industrial

Bohus Botech Portugal: 5,6 M€, 12 postos de trabalho, Sousel
Investimento para a instalação de uma unidade produtiva de dispositivos médicos.

Schmidt Light Metal: 8,03 M€, 17 postos de trabalho, Oliveira de Azeméis
Investimento que irá permitir a fabricação de novas peças para o setor automóvel.

Efapel - Empresa Fabril de Produtos Elétricos; 13,7 M€, 27 postos de trabalho, Coimbra
Investimentos para a industrialização de soluções que irão permitir diferenciar a sua oferta" 

Fonte: Comunicado do Ministério da Economia



(Notícia actualizada às 15:47 com mais informações)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pierre Ghost Há 1 semana

...em 2 anos nada fizeram...e agora a 2 semanas das eleições....é ve-los a comprar votos !!!
É investimento...ou promessa de investimento ????....tipo as 200 casas que o Chaves disse que ia construir na Venezuela com parcerias tugas !!!!
Era quem os empalasse....

Mr.Tuga Há 1 semana

TODOS mamam na teta do contribuinte!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Até os que dizem que o "estado" estorva e as multinacionais....

TODOS MAMAM!

a isbelinha da sonosol vai OPAR o bcp Há 1 semana

a isabelinha da sonosol vai LANÇAR uma OPA ao MILENIUM BCP a 0.50 por ação ou seja METADE do VALOR do falido MONTEPIO

Rammstein Há 1 semana

A publicidade devia ser proibida no Jornal de Negócios.

pub
pub
pub
pub