Saúde Governo cria Prémio de Saúde Pública Francisco George

Governo cria Prémio de Saúde Pública Francisco George

O prémio de 5 mil euros anunciado na despedida de Francisco George da DGS visa distinguir trabalhos inovadores e inéditos na área da saúde pública.
Governo cria Prémio de Saúde Pública Francisco George
Bruno Simão
Rita Faria 20 de outubro de 2017 às 11:16

No dia em que Francisco George sai do cargo de director-geral da Saúde, o Governo anuncia a criação de um prémio em sua homenagem, que vai distinguir trabalhos e estudos de investigação em temas de saúde pública.

"No momento em que o Dr. Francisco George cessa, por limite de idade, as funções de director-geral da Saúde, o Ministério da Saúde, pretende distinguir esta personalidade, instituindo o Prémio de Saúde Pública Francisco George", refere o despacho publicado esta sexta-feira, 20 de Outubro, em Diário da República.

O Prémio, que será de 5 mil euros em dinheiro, tem como objectivo distinguir "os trabalhos e estudos de investigação, inéditos e inovadores, em temas de saúde pública de relevante interesse e impacto para a defesa da saúde pública".

O despacho, assinado pelo ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes, estabelece ainda os membros do júri - Alexandre Vieira Abrantes, Sérgio David Lourenço Gomes e Sílvia Cristina Ribeiro Silva – nomeados para um período de três anos, com possibilidade de ser renovado.

O anúncio público da abertura oficial das candidaturas ao Prémio realiza-se no dia 7 de Abril, Dia Mundial da Saúde, e a apresentação das candidaturas decorrerá no período de 1 de Junho a 31 de Agosto. As candidaturas devem ser submetidas online, através do site www.sg.min-saude.pt.

Francisco George, que faz esta sexta-feira 70 anos, abandona o cargo após 12 anos em funções. O médico vai agora dirigir a Cruz Vermelha Portuguesa. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub