Economia Governo cria serviços clinicos próprios para avaliar candidatos a condutores

Governo cria serviços clinicos próprios para avaliar candidatos a condutores

O Governo aprovou hoje a criação de serviços clínicos próprios para avaliar os condutores e candidatos a tirar a carta de condução que visa acelerar o processo e torná-lo mais eficaz.
Governo cria serviços clinicos próprios para avaliar candidatos a condutores
Correio da Manhã
Lusa 10 de agosto de 2017 às 17:21
De acordo com o projecto de decreto-lei, hoje aprovado em Conselho de Ministros, a criação dos Serviços Clínicos para a Avaliação da Aptidão Física, Mental e Psicológica dos Candidatos e Condutores (SAMP) altera o regulamento da Habilitação Legal para Conduzir.

Actualmente, a avaliação da aptidão física, mental e psicológica dos candidatos e condutores dos grupos 1 e 2 é realizada, respectivamente, por médicos e psicólogos no exercício da sua profissão.

A alteração leva em conta que "a avaliação da aptidão física, mental e psicológica dos candidatos e condutores requer uma avaliação específica e diferenciada das aptidões definidas no perfil destes condutores, tendo em consideração a garantia da segurança rodoviária".

Por esta razão, esta avaliação "poderá ser desenvolvida de forma mais célere e eficaz em serviços clínicos especializados para a avaliação da aptidão física, mental e psicológica dos candidatos e condutores, com uma estrutura adequada para efectuar essa avaliação".

É igualmente facilitado "o processo de obtenção e revalidação da carta de condução, disponibilizando um conjunto de meios concentrados e especializados, passíveis de serem auditados, aumentando a acessibilidade e centrando as políticas no interesse dos cidadãos, melhorando a qualidade e a capacidade de monitorização do processo e assegurando a segurança rodoviária".



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub