Finanças Públicas Governo dá garantia pública de 258 milhões de euros aos "lesados do BES"

Governo dá garantia pública de 258 milhões de euros aos "lesados do BES"

A solução encontrada para os lesados do BES beneficiará de uma garantia pública de 258 milhões de euros, que não terá contragarantia do Fundo de Resolução. Ou seja, os bancos ficam de fora, escreve o Público.
Governo dá garantia pública de 258 milhões de euros aos "lesados do BES"
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 08 de fevereiro de 2017 às 09:44

O Estado prestará a única garantia ao veículo que comprará por 258 milhões de euros os cerca de 480 milhões de euros de papel comercial detido pelos lesados do BES, escreve o Público a 8 de Fevereiro. Esta garantia é essencial para que este veículo – que ficará com a missão de recuperar o máximo possível da massa falida do BES – se consiga endividar e comprar os títulos aos clientes do banco que venderão a desconto, mas encaixarão já o dinheiro em vez de se verem envolvidos num imbróglio jurídico que levará anos a resolver, e com uma taxa de recuperação incerta.

A ideia inicial era que o veículo tivesse uma garantia pública e uma contragarantia do Fundo de Resolução, de forma a honrar sem margem para dúvidas a promessa do Governo de que não haveria dinheiro dos contribuintes envolvido na operação. É que em última instância as responsabilidades do Fundo de Resolução cabem aos bancos do sistema financeiro português.  Agora, segundo o diário, a operação fica garantida apenas pelo Estado.

Com ou sem contragarantia do Fundo de Resolução, uma garantia do Estado deverá implicar um impacto no défice orçamental, como avançou o Negócios a 22 de Dezembro. O Público escreve que o grupo de trabalho que está a trabalhar o tema continua a tentar evitar este efeito, tentando desenhar formas garantam forte autonomia do veículo face ao Estado, seja através da sua configuração jurídica, seja através de um maior envolvimento da CMVM na supervisão deste veículo.

A ideia é pagar aos lesados ao longo de três anos, com a primeira tranche a ser entregue em Maio deste ano. O acordo prevê o pagamento até 75% do montante pelos clientes com investimentos até 500 mil euros, num máximo de 250 mil euros. A recuperação cai para 50% para investimentos superiores a 500 mil euros. 

Em média, a taxa de recuperação proposta pelo veículo é de cerca de 58%, o que supera substancialmente os 31% que os investidores teriam em princípio garantidos caso sejam reconhecidos como credores directos do BES mau.




A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado henriquesrdoliveira Há 2 semanas

Alexandre Policarpo, você resumiu o assunto na perfeição, pelo que permita-me citá-lo:

«O 1º ministro garantiu há 15 dias no Parlamento que seria o Fundo de Resolução, ou seja, os bancos, quem garantia o empréstimo para pagar aos "lesados" do GES. Mais uma vez o 1º ministro mentiu com os dentes todos que tem na boca. Os bancos ficam de fora e quem garante são os contribuintes!»

comentários mais recentes
investidor1 Há 2 semanas

https://goo.gl/forms/3f25LE6Qekr0VWo22

Obrigado.

Pois Há 2 semanas

Quando foram enfiados 353 milhões dos nossos impostos nos colégios privados não se indinaram tanto

Anónimo Há 2 semanas

pouca vergonha esta gerigonça e uma vergonha alias a esquerda sempre tramou os portugueses deixam as bancarrotas nas maos dos outro e depois gostam sempre de ficar bem na fotografia pouca vergonha agora somos nos que vamos agar os prejuizos de pessoas que tinha o dinheiro a prazo hahahahaha e de rir continuem a otar nesta esquerda que vamos longe o defice cada vez aumenta mais a divida vai ficando cada vez maior pouca vergonha pais de abutres ladroes

Nonagésimo Há 2 semanas

E nao ha ninguem que ponha uma providencia cautelar nisto?
Eu pagar pelas jogatanas dos outros?!?!
Quando dava lucro nao se queixavam!
Vao protestar para o raio que os parta a todos

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub