Economia Governo de Rajoy diz que decisão da Generalitat “não é admissível”

Governo de Rajoy diz que decisão da Generalitat “não é admissível”

O Governo central reiterou que não é possível legitimar o resultado de um referendo "ilegal e fraudulento". Os próximos passos serão decididos num conselho de ministros extraordinário agendado para esta manhã.
Governo de Rajoy diz que decisão da Generalitat “não é admissível”
Angel Navarrete/Bloomberg
Negócios 11 de outubro de 2017 às 07:51

O Executivo de Mariano Rajoy considera que "não é admissível fazer uma declaração implícita de independência para imediatamente depois deixá-la suspensa de forma explícita", segundo referiram fontes do Palácio da Moncloa, citadas pelo Expansión.

Foi a reacção do Governo de Espanha à decisão de Carles Puigdemont de declarar unilateralmente a independência da Catalunha e suspendê-la durante várias semanas para abrir a porta às negociações com Madrid de uma possível solução concertada para aquela região.

O Executivo sublinha, porém, que "não é possível dar validade à lei do referendo suspensa pelo Tribunal Constitucional" nem aos resultados de uma consulta popular "fraudulenta e ilegal". De acordo com as mesmas fontes, é ilegal supor que os catalães "disseram que querem independência".

Após o discurso de Puigdemont, ao final da tarde de ontem, a vice-presidente do Governo espanhol instou o líder do Executivo regional catalão a regressar ao caminho da legalidade se quer que existam negociações, acrescentando que Carles Puigdemont não tem o direito de exigir uma mediação das conversações com o Governo central.

"Nem o senhor Puigdemont nem qualquer outra pessoa podem reclamar (...) impor uma mediação. Qualquer diálogo entre democratas deve ter lugar dentro da lei," afirmou Soraya Saenz de Santamaria, citada pela Reuters.

O Governo agendou para as 9:00 desta quarta-feira (8:00 de Lisboa) um conselho de ministros extraordinário para preparar a resposta à declaração de independência da Catalunha. Segundo a imprensa espanhola, Mariano Rajoy esteve reunido ontem à noite Pedro Sánchez e hoje falará com Albert Rivera, líder do Cidadãos, para analisar a possível activação do artigo 155 da Constituição de Espanha que suspende total ou parcialmente o estatuto de autonomia da região. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub