Política Governo decreta luto nacional colocando Portugal como devedor de Soares

Governo decreta luto nacional colocando Portugal como devedor de Soares

Mário Soares está "indelevelmente ligado à história contemporânea de Portugal e à transformação, abertura e modernização da sociedade portuguesa", assinala o diploma que decreta luto nacional até quarta-feira.
Governo decreta luto nacional colocando Portugal como devedor de Soares
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 09 de janeiro de 2017 às 12:23

Foi quem mais contribuiu para a democracia nacional. Resistiu ao Estado Novo. Esteve nas raízes da adesão à Comunidade Europeia. Motivos para que o Governo considere que Portugal é devedor de Mário Soares e razões também apontadas no diploma que decreta o luto nacional por três dias.

 

"A República Portuguesa é-lhe, por tudo isto, devedora da sua longa e incondicional dedicação à causa pública e do seu exemplar contributo para o prestígio de Portugal", conclui o Decreto n.º 2-A/2017, publicado esta segunda-feira, 9 de Janeiro, em Diário da República.

 

O luto nacional por três dias, entre segunda e quarta-feira, já tinha sido anunciado, tendo sido tornado oficial através da publicação em Diário da República. "Mário Soares é uma das grandes figuras da história portuguesa do século XX e do início do século XXI, e fundador do nosso regime democrático", é a frase com que inicia o documento.

 

"Mário Soares está assim indelevelmente ligado à história contemporânea de Portugal e à transformação, abertura e modernização da sociedade portuguesa. Foi o primeiro ministro dos Negócios Estrangeiros da Revolução. Foi o primeiro Primeiro-Ministro da República democrática saída do 25 de Abril de 1974. Foi o primeiro Presidente da República civil", relembra o documento aprovado em Conselho de Ministros de 7 de Janeiro, o dia da morte do antigo Presidente da República, e promulgado no mesmo dia por Marcelo Rebelo de Sousa.

 

A assinatura do diploma, que indica que Soares foi "aquele que mais configurou a democracia portuguesa nas suas opções fundadoras", é de Maria Manuel Leitão Marques, ministra da Presidência, tendo em conta que o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, se encontram na visita oficial à Índia. Apesar disso, Costa escreve hoje um artigo de opinião no Diário de Notícias onde assinala que "ninguém contribuiu tanto como Mário Soares para a construção do Portugal pós-25 de Abril". 

 

"Desde muito jovem e durante uma longa vida, combateu pela liberdade, quer na resistência à ditadura do ‘Estado Novo’, que lhe custou a prisão, a deportação e o exílio, quer na luta pela consolidação da democracia constitucional. Foi também Mário Soares o principal responsável pela adesão de Portugal à Comunidade Europeia, tendo sido o grande impulsionador da abertura do país à Europa e ao Mundo", anota ainda o mesmo diploma.

 

O antigo Presidente da República é elogiado pelo Executivo por ser "detentor de um reconhecimento internacional reiterado por distinções e prémios relevantes". "Mário Soares manteve, ao longo de muitas décadas e mesmo fora do exercício de cargos políticos, uma presença activa e interveniente na vida cívica, política, social e cultural, pensando, escrevendo e agindo em nome da sua convicção constante na liberdade, na democracia e no progresso social", acrescenta ainda o diploma. 

 

O luto nacional por Mário Soares, falecido este sábado 7 de Janeiro, foi decretado para os primeiros três dias da semana, período em que se realizam as cerimónias fúnebres. O funeral realiza-se esta terça-feira, 10 de Janeiro, para o Cemitério dos Prazeres. 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JARANES 11.01.2017

O VERDADEIRO SOCIALISMO
Ficamos a saber pela voz da filha de Mário Soares que este tinha por hábito deslocar-se a França, levando com ele desvalidos das zonas pobres de Lisboa e levava-os a almoçar e jantar nos restaurantes chiques de Paris e fulaneava com eles pelo Cartier Latin.
Tudo muito chique e muito socialista.

Observador 09.01.2017

Morais Soares teve uma vida contra os comunistas , mas não acertou no inimigo, pós 25 de Abril aliou-se á direitalha ,que o esqueceu completamente. Por isso vê-se no cortejo funebre a meia dúzia de xuxas a acompanhá-lo . Quem viu o funeral do Barreirinhas ,mais de 500 mil assistiram!

Anónimo 09.01.2017

MEMÓRIAS

...E ASSIM SE VÃO DA LEI DA VIDA LIBERTANDO...

SOARES ERA UM ACTOR EM REPRESENTAÇÃO CONSTANTE, COM BANDA ATRÁS, OLVIDANDO A REALIDADE DE MILHÕES DE PORTUGUESES..

faf 09.01.2017

Mais uma noticia com um titulo apalermado

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub