Emprego Governo: desconto na TSU chega a pequenas empresas

Governo: desconto na TSU chega a pequenas empresas

Vieira da Silva referiu em entrevista à TVI que 56% do apoio é dirigido a empresas que têm em média três trabalhadores.
Governo: desconto na TSU chega a pequenas empresas
Catarina Almeida Pereira 17 de janeiro de 2017 às 21:57

A "esmagadora maioria" das empresas que beneficiam do desconto da TSU são pequenas empresas, com poucos trabalhadores, afirmou o ministro Vieira da Silva, em entrevista à TVI.

"Repare: 56% do apoio vai para empresas com menos de dez trabalhadores, que em média têm três trabalhadores ao serviço", afirmou o ministro do Trabalho, numa entrevista na TVI. São as pequenas empresas que "de uma forma esmagadora" beneficiam do acordo, disse o ministro, rejeitando que o apoio em causa, que procura compensar um aumento de 5% do salário mínimo, seja uma "benesse ao grande capital".


Questionado sobre como é que não conseguiu convencer PCP e Bloco de Esquerda, Vieira da Silva afirmou que não fica surpreendido com a posição do PCP e do Bloco de Esquerda, que considerou coerente com as posições assumidas no passado.


Sem querer abrir a porta a alternativas concretas, o ministro defendeu esta medida como sendo a mais rápida e mais equitativa de apoio às empresas.


Se durante a tarde a UGT tinha divulgado um vídeo com algumas das assinaturas por firmar, ao início da noite, em entrevista à TVI, Vieira da Silva mostrou uma cópia do acordo assinado por todos os parceiros que o subscreveram.


O ministro do Trabalho também desvalorizou a formalização do acordo. "Outros acordos não tiveram o estado formal de assinatura, este teve até a assinatura do primeiro-ministro", mas o mais relevante é o entendimento alcançado a 22 de Dezembro, disse. "A prática da concertação social é que os acordos se fazem no debate". 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
alberto9 18.01.2017

Se calhar os empregados dos call centers e supermercados ganhos mais que o ordenado minimo...

pub
pub
pub
pub