Segurança Social Governo e Bloco de Esquerda chegam a acordo sobre recibos verdes

Governo e Bloco de Esquerda chegam a acordo sobre recibos verdes

Com cedências de parte a parte, Governo e Bloco de Esquerda fecharam as futuras regras dos descontos para a Segurança Social dos recibos verdes. A maior parte das medidas terá efeitos práticos em 2019.
Há fumo branco: Governo e Bloco de Esquerda chegaram a acordo sobre a alteração das regras de descontos dos recibos verdes para a Segurança Social.

A taxa contributiva baixará dos actuais 29,6% para os 21,4% (e de 34,75% para os 25,17% para os empresários em nome individual) e passará a incidir sobre 70% da média dos rendimentos do último trimestre, abandonando-se o complexo sistema de escalões. 

Ao nível da protecção social, os subsídios de desemprego e doença serão facilitados, embora mantenham regras diferentes das aplicáveis aos trabalhadores por conta própria. 

Para compensar, sobe-se a taxa das empresas que fazem utilização intensiva de recibos verdes e acaba-se com a isenção de alguns trabalhadores que acumulam salário com recibos verdes.

Uma parte das medidas entra em vigor em 2018, mas a grande maioria só terá efeitos práticos em 2019. 


Ao Negócios, José Soeiro, deputado do Bloco de Esquerda que ao longo dos últimos meses vem negociando este pacote com o Governo, considera que as futuras regras fazem "uma redistribuição mais justa do esforço". 





A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
ccc 13.12.2017

Uma valente mierta, foi o que conseguiram, os recibos verdes continuam a ser os escravos do século XX! em Portugal!

Anónimo 13.12.2017

30 segundos (literalmente) da vossa ajuda são suficientes para trazer os rendimentos dos mais de 100.000 portugueses em Angola, de volta para o nosso país! Vamos acabar com esta vergonha!
http://peticaopublica.com/viewfullsignatures.aspx?pi=PT87641

Anónimo 13.12.2017

Quando a República Portuguesa estiver novamente à beira da falência e estes precários forem todos definitivos cheios de direitos adquiridos, blindados à prova de mercado ou de oferta e de procura e de inovação ou avanço tecnológico, é que se apercebem do erro. Mas já vai ser tarde.

Anónimo 13.12.2017

Mais um aumento brutal de impostos, com a eliminação da opção de descida de dois escalões!

ver mais comentários
pub