Economia Governo escolhe professor do Técnico para liderar INE

Governo escolhe professor do Técnico para liderar INE

Alda Caetano reformou-se e o governo já escolheu nova equipa. De fora, para a liderança vem Francisco Lima. Dos dois vogais que estavam no INE, um continua a outra também é substituída.
Governo escolhe professor do Técnico para liderar INE
Rui Peres Jorge 03 de janeiro de 2018 às 14:01
Francisco Lima, professor do Instituto Superior Técnico, é a escolha do Governo para liderar o Instituto Nacional de Estatística (INE), um nome que terá agora de ser validado pela CRESAP. Carlos Coimbra (no INE desde 2004 e vogal desde 2011) continua, e Maria Cordeiro (vogal desde 2005) dá o seu lugar a Maria Zilhão, que é hoje directora do Serviço de Planeamento, Controlo e Qualidade do INE.

A notícia foi avançada ao Eco e à Lusa pela presidência do Conselho de Ministros, na qual está inserido o INE, cuja lei orgânica define que como um instituto que "no exercício da actividade estatística oficial goza de independência, podendo, na qualidade de autoridade estatística nacional, exigir a prestação de informação, com carácter obrigatório e gratuito, com garantia da salvaguarda do segredo estatístico, nos termos da lei do Sistema Estatístico Nacional".

Alda Carvalho deixou o INE no início deste ano por ter atingido 70 anos de idade, o limite para traballhar na função pública, após 12 anos a liderar o instituto. A gestão do INE está a ser garantida pelos dois vogais em funções.

Fonte oficial diz que o "Governo enviou já, para parecer da CRESAP, a composição do Conselho Directivo do INE para o próximo quinquénio: Prof. Francisco Miguel Garcia Gonçalves de Lima (Presidente), Dr. Carlos Manuel Matias Coimbra (vogal) e Dra. Maria João Gaspar Tavares Zilhão (vogal)", avançou fonte oficial ao Eco, acrescentando que "o novo Conselho Diretivo iniciará funções quando tal for obtido e quando estiverem concluídas as demais formalidades legais necessárias".

Francisco Lima é doutorado em Economia pela Universidade Nova e começou a leccionar no Técnico em 2003, com enfoque em engenharia industrial, microeconomia e métodos quantitativos. No ano passado, em Março, foi nomeado coordenador da licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial e do mestrado em Engenharia e Gestão Industrial da escola de engenharia da Universidade de Lisboa.

Entre os trabalhos de investigação publicados encontram-se artigos sobre a importância do capital humano nas organizações, efeitos da inovação e do empreendedorismo, funcionamento do mercado e trabalho entre outros.

Correcção: Na versão inicial, por lapso, o primeiro nome de Francisco Lima surgiu várias vezes trocado por Fernando. Erro entretanto corrigido. As nossas desculpas ao próprio e ao leitores.  



pub