Saúde Governo garante que mudança do Infarmed salvaguardará interesses dos trabalhadores

Governo garante que mudança do Infarmed salvaguardará interesses dos trabalhadores

O secretário de Estado Adjunto da Saúde afirmou hoje que a decisão de mudar o Infarmed para o Porto "será equilibrada, reflectida e ponderada" e garantiu que serão salvaguardados os interesses dos profissionais daquele organismo.
Governo garante que mudança do Infarmed salvaguardará interesses dos trabalhadores
João Santos/Correio da Manhã
Lusa 22 de novembro de 2017 às 12:36
Falando aos jornalistas à margem de uma entrega de 22 viaturas de emergência e reanimação no Hospital Fernando Fonseca, na Amadora, Fernando Araújo afirmou que se trata "de uma decisão estrutural, que não foi tomada por impulso nem de forma simples".

"Visa seguramente os interesses do país", garantiu, quando questionado sobre o que vai acontecer às 400 famílias afectadas por esta mudança.

O governante salientou que é preciso "a continuidade dos serviços do Infarmed" e que se irá "avaliar o interesse dos profissionais, que são de excelência".

O ministro da Saúde, que esteve hoje reunido com representantes dos trabalhadores da sede da autoridade nacional do medicamento, anunciou terça-feira que a sede da entidade vai ser mudada de Lisboa para o Porto.

Segundo Adalberto Campos Fernandes, a instalação da sede do Infarmed no Porto ocorrerá a partir de 1 de Janeiro de 2019.

O Infarmed é um organismo central com jurisdição sobre todo o território nacional que até agora tem funcionado com a sede no Parque da Saúde, em Lisboa.

A missão do Infarmed é "regular e supervisionar os sectores dos medicamentos, dispositivos médicos e produtos cosméticos, segundo os mais elevados padrões de protecção da saúde pública, e garantir o acesso dos profissionais da saúde e dos cidadãos a medicamentos, dispositivos médicos, produtos cosméticos, de qualidade, eficazes e seguros", segundo informação no site do organismo.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
tereza economista Há 2 semanas

Governo prepara concurso publico de técnicos superiores, por mobilidade interna e concurso externo para o infarmed Porto.

AJC Há 3 semanas

sera que os trabalhadores vao receber subsidio para arrendar uma casa no Porto, como acontece com os políticos que vao para o governo , AR etc e que tem residência fora de Lisboa?

Anónimo Há 3 semanas

Os Lisboetas, para além de provincianos e bairristas, ao que parece são também muito mal educados. Desde que sou vivo tenho testemunhado a recorrente deslocalização de serviços/empresas do Norte para Lisboa, como ainda agora recentemente a CMVM. Nunca vi tta preocupação com os trabalhadores...

Vasco F. Granja Há 3 semanas

380 famílias prejudicadas por uma decisão irreflectida.
Uau isto tem mesmo a "cara" do ps e os geringonças. Até onde vai a incompetência e demagogia?

ver mais comentários
pub