Economia Governo: Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos na agricultura

Governo: Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos na agricultura

Capoulas Santos estimou em 20 milhões os prejuízos na agricultura, causados pelos incêndios de Pedrógão Grande. No concelho, as perdas totais decorrentes dos fogos foram superiores em mais de 10 vezes: 250 milhões de euros.
Governo: Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos na agricultura
Miguel Baltazar
Lusa 30 de junho de 2017 às 11:50
O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, estimou esta sexta-feira, 30 de Junho, em 20 milhões de euros os prejuízos causados pelos incêndios na zona de Pedrógão Grande, que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos.

Os prejuízos referem-se à área específica do ministério, englobando este valor de 20 milhões perdas com plantações (vinhas, pomares, por exemplo), equipamentos ou explorações agrícola, explicou Capoulas Santos no final da interpelação dos Verdes sobre política florestal e desertificação do interior, no parlamento.

Durante o debate, o ministro anunciou a estimativa de 20 milhões de euros dos prejuízos causados pelos incêndios na zona de Pedrógão Grande, que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos, mas não especificou as áreas, que explicou depois aos jornalistas.

Em resposta a uma pergunta do deputado do PCP João Ramos, Capoulas Santos afirmou que o Governo já fez as estimativas dos prejuízos e terá de "existir a capacidade financeira para lhes dar resposta".

Depois do levantamento de prejuízos, o Ministério vai agora abrir, no prazo de "duas, três semanas", as candidaturas para os agricultores serem recompensados pelas suas perdas, "de acordo com as leis nacional e comunitária".

"Nos termos da lei nacional e comunitária, [os pagamentos] variam entre 50% e 80% da totalidade dos prejuízos, que podem acumular-se à indemnização do seguro, àquelas pessoas que o fizeram", afirmou Capoulas Santos.

O incêndio que deflagrou a 17 de Junho, em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e alastrou a outros concelhos, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Pedrógão Grande: Câmara estima prejuízos de 250 milhões de euros no concelho

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, estimou entretanto em 250 milhões de euros os prejuízos no concelho decorrentes do incêndio. "Pelo menos 250 milhões de euros", disse à agência Lusa Valdemar Alves.

Antes, aos jornalistas, o autarca tinha dito que o balanço feito pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, na quinta-feira, que anunciava que 40 empresas tinham sido afectadas pelo incêndio, assim como 500 casas, em Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, foi uma estimativa "a quente".

Segundo Valdemar Alves, haverá ainda mais casos para avaliar.

(título alterado para reflectir que os prejuízos se limitaram à agricultura; notícia actualizada às 15:53)



A sua opinião13
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 30.06.2017

Governo: Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos

ERA BOM QUE O GOVERNO CONTROLASSE A MANEIRA COMO AS AS PESSOAS VÃO SER REÇARCIDAS!
PRICIPALMENTE DA PARTE DA SANTA CASA, É CLARO QUE AÍ NÃO Poderão meter o bico.
É PENA!

comentários mais recentes
Conta para os mercenários incendiários. 01.07.2017

Enquanto não acabar com empresas privadas para apagar incêndios ,os fogos nunca mais acabam,acordem seus inteligente.empresas privadas só para limpar mato ,mas faz calos.

Anónimo 30.06.2017

Contas à capoulas? Será que no rato do costa ainda se conta pelos dedos? Deve haver por lá quem saiba fazer contas. Por que não aparecem? Terão vergonha do seu chefe, guardam-se para quando o bom senso voltar e se sintam de novo orgulhosos de serem socialistas? Como dizem os galegos: manda carallo!

OS EUCALIPTOS EXISTENTES DEVEM SER PARA ARRANCAR 30.06.2017

Os bombeiros australianos, que conhecem, melhor do que ninguém, o que é o eucalipto e qual é o seu comportamento, em cenário de incêndios, chamam-lhe a "ÁRVORE-GASOLINA".
Se é que queremos continuar a ter situações como aquela que sucedeu, há dias, então vamos continuar a plantar mais eucaliptos.

Anónimo 30.06.2017

O dinheiro que se desperdiça com empresas públicas com excesso de custos salariais como a CGD e a CP, dava para ter um bom sistema de alarme e video-vigilância nos paióis e arsenais assim bem como meios aéreos de combate aos fogos e equipamento para limpar uma boa faixa de mato junto às estradas.

ver mais comentários
pub