Orçamento do Estado Governo indisponível para aumentar em 10 euros pensões actualizadas por Passos

Governo indisponível para aumentar em 10 euros pensões actualizadas por Passos

Vieira da Silva afirmou esta sexta-feira no Parlamento que os critérios de actualização de pensões para o próximo ano serão os que estão previstos e que o Governo não pretende introduzir critérios diferentes que permitam a actualização das pensões mais baixas.
Governo indisponível para aumentar em 10 euros pensões actualizadas por Passos
Miguel Baltazar/Negócios
Filomena Lança 11 de Novembro de 2016 às 16:56

"Não temos nenhuma razão para os alterar [os critérios previstos para actualização de pensões]  porque eles respondem a uma distorção que foi introduzida nos últimos anos", afirmou o Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social no Parlamento. Vieira da Silva, que  está esta sexta-feira, 11 de Novembro, na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa numa audição no âmbito da discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2017, respondia a uma questão colocada por Mercês Borges, do PSD.

 

A deputada levantou uma questão largamente debatida nos últimos tempos e que se prende com o facto de o Governo excluir do aumento de 10 euros, em Agosto, todas pensões que foram actualizadas nos anos do Governo de Passos.

 

"Reconhece ou não que há uma profunda injustiça social e não aumenta as pensões mais baixas? Está ou não disponível para alterar a proposta de OE tratando estes beneficiários com equidade e justiça?", questionou Mercês Borges.

 

Vieira da Silva recusa que não exista uma actualização de pensões. "Não é correcto dizer que não há actualização. Há actualização para todas abaixo de dois IAS[Indexante de Apoios Sociais]", sublinhou

 

O objectivo do Governo, recorde-se, é que, tal como está na proposta de OE, os pensionistas com pensões até 838 euros (dois IAS) tenham uma actualização ao nível da inflação em Janeiro. Quem recebe acima disso e até cerca de 2.515 euros (6 IAS) a actualização a aplicar, em períodos de crescimento baixo como o que agora se verifica, será a da inflação menos cinco décimas.

 

Depois, em Agosto haverá um aumento extraordinário, que já não depende dos preços e se destina a perfazer dez euros face a Dezembro. E é esse aumento extraordinário que deixa de fora os pensionistas que têm um montante total de pensões superior a 1,5 IAS (cerca de 630 euros) e todos aqueles que viram uma ou ambas as pensões actualizadas entre 2011 e 2015. Sendo que estes últimos são, precisamente, as pensões mais baixas, às quais a deputada do PSD se referia.

 

Na prática, ficam de fora pelo menos mais de meio milhão de pessoas com a pensão social (de 202 euros), a pensão rural (243 euros) e o primeiro escalão de pensões mínimas (263 euros), que como o Governo tem explicado viram a sua pensão actualizada entre 12 e 15 euros.

 

Desempregados vão ter balcão único

 

Vieira da Silva levou um discurso positivo as deputados, salientando que os dados do 3º trimestre de 2016 "confirmam uma tendência para uma melhoria sustentada do mercado de trabalho, visível na criação de emprego". "Há uma evolução positiva no mercado de trabalho quer em temos quantitativos que qualitativos. E isso reflecte-se também no desemprego onde se assiste a uma redução da taxa de desemprego", sublinhou.

 

"Uma economia que desde o início do ano criou 100 mil postos de trabalho não é uma economia paralisada", declarou, lembrando também a falta de capacidade que o Estado tem vindo a ter para contribuir para essa criação de emprego.

 

Em matéria de emprego, aliás, o ministro começou logo por anunciar que está em curso a criação de um Balcão único do Emprego, no âmbito de "um conjunto de medidas de modernização no atendimento". No balcão único, uma medida Simplex, a ideia é concentrar num único espaço físico ou numa só plataforma digital todas as acções dos cidadãos desempregados na procura activa de emprego, bem como dos empregadores que pretendem contratar novos colaboradores.

 

O ministro salientou, por outro lado, a existência de um reforço da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), com a contratação de 80 novos inspectores e o "reforço da interconexão de dados entre ACT, Segurança Social e Autoridade Tributária e Aduaneira.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas


Um governo de ladrões

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


AS PENSÕES DOURADAS DA CGA SÃO SUBSIDIADAS EM 500€, 1000€, 1500€ E MAIS, POR MÊS.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.


comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

politica de uma ditadura de esquerda! que faz dos pobres ainda mais pobres!! para assegurar todas as mordomias,aos que fazem parte deste sistema,que é esta carapaça que todos conhecemos. quem não faz parte não tem direitos,só tem deveres!! e com esta ditadura;tem mesmo é de estar calado:

Anónimo Há 4 semanas


Os ladrões de esquerda

Um governo de ladrões

PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.

Joana Levanakoná Há 4 semanas

Esta bichona esotérica tem sempre a mesma cara de cú. Só vai ficar feliz quando falir a SS! ;)

mario Há 4 semanas

Seria mais justo não aumentar os vencimentos dos F. Públicos a cima se 1500,00 Eur. e dar a quem pouco recebe mais alguma coisa. Onde estão os hipócritas da esquerda?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub