Economia Governo investe 3,3 milhões em faixas corta-fogo até 2020

Governo investe 3,3 milhões em faixas corta-fogo até 2020

O Executivo aprovou um montante máximo de 3,3 milhões de euros para limpar as matas sob gestão do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e abrir faixas corta-fogo. Já no próximo ano serão disponibilizados 1,5 milhões de euros.
Governo investe 3,3 milhões em faixas corta-fogo até 2020
Cofina Media
Bruno Simões 31 de outubro de 2017 às 13:33

Depois dos incêndios deste Verão, os piores de sempre em Portugal, o Governo decidiu canalizar uma verba de 3,3 milhões de euros para o orçamento do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que serão para aplicar na abertura de faixas corta-fogo. Esta foi uma das medidas aprovadas no Conselho de Ministros extraordinário de 21 de Outubro, ocasião em que também se decidiu passar a gestão de meios aéreos de combate a incêndio para a Força Aérea ou atribuir 328 milhões de euros para apoio às vítimas.

 

De acordo com a resolução do Conselho de Ministros hoje publicada em Diário da República, os 3,3 milhões de euros, a disponibilizar nos próximos três anos, deverão ser aplicados em "redes de defesa da floresta contra incêndios", o que implica a "abertura de 407 hectares de rede primária de faixas de gestão de combustível, de 37,7 hectares de rede secundária, de 2.474,9 hectares de mosaicos de parcelas de gestão de combustível", e na "adaptação de 41,6 quilómetros de caminhos de acesso a pontos de água de primeira ordem por rede viária florestal fundamental".

 

Trata-se de acções que "contribuem para reduzir o risco de incêndio e a magnitude das suas consequências, na perspectiva da manutenção do património florestal e dos bens, de natureza ambiental, económica e social". No total, o ICNF gere "cerca de 523.500 hectares de espaços florestais".

 

Esta verba será distribuída da seguinte forma: 1,5 milhões de euros no próximo ano; 1,5 milhões em 2019 e 295 mil euros em 2020. Estes valores já incluem IVA e cabe ao ICNF a prática dos actos necessários ao cumprimento destas medidas. Esta verba é co-financiada pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR).

Foram ainda publicadas em Diário da República outras resoluções da mesma reunião extraordinária do Conselho de Ministros que estabelecem prioridade no corte de vegetação nas linhas do Minho, Douro e Beiras Alta e Baixa, e ainda o incentivo ao enterramento de cabos de telecomunicações.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub