Banca & Finanças Governo italiano prepara pacote de 20 mil milhões de euros de ajuda à banca

Governo italiano prepara pacote de 20 mil milhões de euros de ajuda à banca

O primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, anunciou esta segunda-feira que vai propor ao parlamento a constituição de um fundo de 20 mil milhões de euros de ajuda ao sector financeiro.
Governo italiano prepara pacote de 20 mil milhões de euros de ajuda à banca
Reuters
Negócios com Lusa 19 de dezembro de 2016 às 23:58

"É uma medida de precaução", disse Paolo Gentiloni (na foto) esta segunda-feira à imprensa, referindo-se ao anúncio do 'pacote' de 20 mil milhões de euros.

"Acreditamos que é nosso dever tomar esta medida para proteger as poupanças" dos italianos. Espero que todos os grupos parlamentares partilhem esta responsabilidade", disse Gentiloni aos jornalistas, no final do conselho de ministros.

A proposta de ajuda ao sector bancário acontece quando o terceiro maior banco do país, Monte dei Paschi di Siena (BMPS), o mais antigo do mundo em actividade, procura captar cinco mil milhões de euros, junto de investidores privados, para evitar uma eventual intervenção estatal.

Com efeito, esta segunda-feira foi marcada pelo início do plano de recapitalização do Monte dei Paschi para assegurar esse reforço de capital de cinco mil milhões de euros através de um processo dividido em três fases.

O BMPS perdeu mais de 80% da sua capitalização de mercado desde o começo do ano, além de ter apresentado o pior desempenho nos testes de stress do Banco Central Europeu (BCE), em Julho.

O Monte dei Paschi precisa de garantir esta recapitalização de cinco mil milhões de euros, até ao final do mês, depois de o BCE ter recusado o seu pedido de extensão do prazo até meados de Janeiro. Mas se o plano fracassar, o Governo transalpino terá de avançar com a injecção de dinheiros públicos para salvar o banco (o chamado 'bailout'), o que implicará perdas para obrigacionistas e grandes depositantes.

O crédito malparado da banca italiana atinge os 360 mil milhões de euros, o que representa perto de um terço deste tipo de empréstimos na Zona Euro.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub