Cultura Governo recomenda que Porto Editora retire do mercado blocos de actividades para meninos e meninas

Governo recomenda que Porto Editora retire do mercado blocos de actividades para meninos e meninas

A Comissão para a Igualdade de Género (CIG) recomendou a retirada do mercado dos Blocos de Actividades que distinguem entre meninos e meninas, por orientação do ministro-adjunto, alegando que podem promover a diferenciação do papel de género.
Governo recomenda que Porto Editora retire do mercado blocos de actividades para meninos e meninas
DR
Lusa 23 de agosto de 2017 às 17:06
"A CIG, por orientação do ministro-adjunto, recomendou à Porto Editora que retire estas duas publicações dos pontos de venda (...), no sentido de eliminar as mensagens que possam ser promotoras de uma diferenciação e desvalorização do papel das raparigas no espaço público e dos rapazes no espaço privado", lê-se num comunicado enviado pelo gabinete de Eduardo Cabrita.

A polémica com os dois blocos de exercícios, um para meninas, cor-de-rosa, e outro para meninos, azul, dos quatro aos seis anos, começou na terça-feira nas redes sociais, tendo já a editora negado, na sua página do Facebook, as acusações de discriminação de género e preconceito.

A GIC considera que as cores, temas e grau de dificuldade diferentes para rapazes e raparigas das duas publicações "acentua estereótipos de género que estão na base de desigualdades profundas dos papéis sociais das mulheres e dos homens".

O comunicado dá como exemplo uma actividade dirigida aos rapazes na qual é promovido o contacto com o exterior (campo, árvore, ancinho, águia, etc.), enquanto para as raparigas apresenta cinco objectos, todos eles ligados a actividades domésticas (leite, manteiga, iogurte, alface e maçã), facto que é considerado discriminatório.

"Ainda num outro exemplo, a proposta para os rapazes é a de um cientista construir um robô, enquanto para as raparigas é a de ajudar a mãe a preparar o lanche", acrescenta a nota.

As publicações apresentam, ainda, diferentes graus de dificuldade em algumas das actividades propostas para meninos e meninas.

A Porto Editora rejeita acusações, explicando que as edições foram publicadas em Julho de 2016 e que "são trabalhadas as mesmas competências, na mesma sequência e com exercícios semelhantes. A diferença está na ilustração e na abordagem artística que as diferentes ilustradoras fizeram".



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub