Saúde Governo repõe 25% de horas extra a todos os médicos a partir de Abril

Governo repõe 25% de horas extra a todos os médicos a partir de Abril

O Ministério da Saúde e os sindicatos chegaram a acordo sobre as horas extraordinárias dos médicos.
Governo repõe 25% de horas extra a todos os médicos a partir de Abril
Ricardo Castelo/Negócios
Lusa 14 de março de 2017 às 17:49
O Governo comprometeu-se com os sindicatos médicos a repor 25% das horas extraordinárias a partir de Abril a todos os profissionais de saúde e a negociar para que a reposição total ocorra até ao fim do ano.

Segundo o presidente do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Roque da Cunha, esta foi uma das conclusões da reunião que decorreu hoje entre as organizações sindicais médicas e o Ministério da Saúde.

 

Os médicos estavam desde 2012 com um corte de 50% das horas extraordinárias e tinham a expectativa de que os 25% fossem repostos para todos os médicos.

 

Contudo, após uma diploma que definia a reposição apenas para os profissionais que fazem urgência externa, as organizações médicas ameaçaram avançar com uma greve caso não fosse reposto para todos os profissionais.

 

Na reunião de hoje, segundo o presidente do SIM, o Governo comprometeu-se a repor mais 25% (até se atingir 75%) das horas extra a todos os médicos e ainda a negociar para que até fim de Dezembro deste ano estejam repostos os restantes 25%, alcançando a totalidade.

 

De acordo com o sindicalista, a reposição do pagamento de horas extra será, segundo o compromisso do Ministério, para todos os profissionais de saúde e não apenas para médicos.

 

Apesar de registar que houve um progresso, Roque da Cunha lamentou que o Governo prefira gastar dinheiro com empresas prestadoras de serviços do que repor mais rapidamente as horas extraordinárias dos médicos.

 

Segundo o Sindicato Independente, que esteve reunido em conjunto com a Federação Nacional dos Médicos, o Ministério da Saúde comprometeu-se ainda a negociar um pacote global de reivindicações.

 

Para isso, no dia 21 de Março haverá outra reunião no Ministério da Saúde.

 

O Sindicato Independente dos Médicos propõe também que os participantes do Fórum Médico voltem a encontrar-se ainda este mês.

 

O Fórum Médico, constituído por sindicatos, Ordem dos Médicos e várias organizações de profissionais de saúde, tem exigido ao Governo que melhore o acesso aos cuidados de saúde e as condições de trabalho dos profissionais.

 

Segundo o presidente do SIM, na reunião de hoje, além dos elementos dos sindicatos, estiveram os dois secretários de Estado do Ministério da Saúde e elementos da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga 15.03.2017

Grandes FDP! Grandes CHUL**!
Estes PARASITAS da FP e sindicaleiros estão-se a marimbar para os milhioes de tugas e para o burgo FALIDO!

Só lhes interessa o proprio umbigo!
Nem que os outros morram a fome!
VERGONHA!
Cada vez tenho mais nojo desta pocilga tugalândia!

pdlp 14.03.2017

Esta questão das horas extraordinárias dos médicos e outros funcionários parecem-me um abuso contra o Povo Português.
Queixam-se e reclamam apenas 35 horas semanais contratuais mas acabam fazendo muitas mais extraordinárias,
Afinal quantas horas extraordinárias faz um médico por mês?
Quantas horas contratuais?
Qual o vencimento, contrato + extra, ganha?
Porque não se contratam médicos desempregados em vez de dar horas extra aos já empregados?

Muitas questões a considerar

Conselheiro de Trump 14.03.2017

ORa foda-sse:entao a gerigonca encheu os pulmoes para dizer q este gesto honroso nao traria consequencia para os bolsos do privado e anda a mijar as pingas.Eu ja sabia,mas para quem nao sabia:assim nao e dificil ter um PIB baixo(2,1)':nao pagar e mandar parar as actividades o PIB devia ser NULO,NADA

Anónimo 14.03.2017

Rica maneira de negociar. Dá-se-lhes o que pretendem e depois pagamos todos via impostos.

ver mais comentários
pub