Economia Governo reúne-se hoje com protecção civil, bombeiros, GNR e Forças Armadas

Governo reúne-se hoje com protecção civil, bombeiros, GNR e Forças Armadas

O primeiro-ministro e a ministra da Administração Interna reúnem-se esta sexta-feira com o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, GNR, bombeiros e comandante nacional de operações de socorro para preparar "a mobilização máxima de meios contra os incêndios".
Governo reúne-se hoje com protecção civil, bombeiros, GNR e Forças Armadas
Reuters
Lusa 18 de agosto de 2017 às 05:20

O encontro foi anunciado na quinta-feira, depois do Governo ter declarado o estado de calamidade pública, com efeitos preventivos, face à previsão do agravamento nos próximos dias do risco de incêndio.

 

"Face à previsão do agravamento, nos próximos dias, em particular no fim de- emana, do risco de incêndio muito elevado e máximo, com especial incidência nos distritos do interior das regiões do Centro e Norte e alguns concelhos do distrito de Beja e sotavento algarvio, o Governo, por despacho do primeiro-ministro e ministra da Administração Interna, vai declarar o estado de calamidade pública com efeitos preventivos naquelas zonas do território nacional", lia-se numa nota divulgada pelo gabinete do primeiro-ministro ao final da manhã de quinta-feira.

 

Na nota era ainda anunciado a reunião entre o primeiro-ministro, a ministra da Administração Interna, o Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, o comandante geral da GNR, o comandante nacional de operações de socorro e o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses "tendo em vista a mobilização máxima de meios e pré-posicionamento nas zonas de maior risco".

 

No comunicado era indicado que o Governo vai também ouvir "os presidentes de Câmara daqueles territórios tendo em vista a identificação de outras medidas que devam ser adoptadas com carácter preventivo".

 

A declaração de calamidade pública está prevista na lei de bases da Protecção Civil, podendo ser declarada "face à ocorrência ou perigo de ocorrência" de acidente grave ou catástrofe, e inclui um "regime especial de contratação pública de empreitadas de obras públicas, fornecimento de bens e aquisição de serviços".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 2 dias

Concerteza que deve ter havido muita preocupação, sobre a qualidade do café para os intervalos, e qual seria a ementa do jantar.

A útil da inutilidade a trabalhar para o VOTO... Há 3 dias

O desgoverno Costa vai reunir-se com a desproteção civil por ele nomeada! Certo?
Isto é atirar cinza para os olhos dos Portugueses.
Bem, sempre podem jogar à bisca de 4...
Os Tugas são gado de ordenha e aceitam tudo.
O pulmão do país ardeu todo, que se lixe, não é LISBOA... não dá votos.

General Ciresp Há 3 dias

Nao estaria esta mesa PENTAGONAL mais completa ao fazer sentar aqui TAMBEM os protagonistas do EROTISMO DA DOR?

Camponio da beira Há 3 dias

Continua tudo com antes de Pedrogão. Não aprenderam nada.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub