Orçamento do Estado Governo volta a contar com Banco de Portugal e espera 500 milhões só em dividendos

Governo volta a contar com Banco de Portugal e espera 500 milhões só em dividendos

Só em dividendos, o Governo espera receber do Banco de Portugal mais 148 milhões do que este ano. A redução da factura com juros deve ser outra das ajudas para reduzir o défice de 1,4% para 1% do PIB.
Governo volta a contar com Banco de Portugal e espera 500 milhões só em dividendos
David Martins/Correio da Manhã
Marta Moitinho Oliveira 12 de outubro de 2017 às 16:27

O Governo espera que o Banco de Portugal entregue ao Estado 500 milhões de euros em dividendos no próximo ano, uma receita que ajudará a conter o défice. Ao que o Negócios apurou este valor deverá fazer parte da proposta de Orçamento do Estado para 2018, que o Executivo espera aprovar esta quinta-feira, 12 de Outubro.  

Este valor representa um acréscimo de 148 milhões de euros face aos dividendos entregues pelo Banco de Portugal este ano, ou seja, mais 42%. Além disso, refere-se apenas aos dividendos que o banco central entrega ao Estado por conta dos resultados da sua actividade. A este montante falta somar a parte de IRC que será paga pela instituição liderada por Carlos Costa.

O Negócios tinha avançado na edição desta quinta-feira que a par dos dividendos do Banco de Portugal também a despesa com juros será uma ajuda para o défice, que deverá baixar de 1,4% do PIB este ano para 1%.

A redução das taxas de juro nos mercados internacionais deixa antever um alívio da factura com juros, que deverá passar de 3,9% para 3,7% do PIB.

A entrega de dividendos por parte do Banco de Portugal ao Estado esteve envolta em polémica já este ano. O Governo criticou Carlos Costa pelo elevado nível de prudência nas provisões, que esmagava os dividendos. O banco central acabou por entregar ao Estado 352 milhões de euros em dividendos, que somados aos 175 milhões em IRC ultrapassaram os 527 milhões de euros.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Os Saudosistas do Diabo Há 5 dias

O BdP não é do Estado ? Com recursos dos Portugueses ? Deve passar para o Estado quase a totalidade dos Rendimentos, e começar a Reduzir aos altos salários e benefícios e Afins, Acabar com o sistema de estar acima dos Portugueses, vivendo com o dinheiro deles.

Anónimo Há 1 semana

I'll Tax Anything that moves.

A unica coisa estranha é o BdP crer Há 1 semana

acumular lucros excessivos, que apenas servem para aforramento próprio. Tem sido assim ao longo de décadas. Essas mais valias são à posterior queimadas em sumptuosos aumentos de ordenados e regalias, fora do contexto nacional. Ou seja, dinheiro queimado em proveito próprio e vaidades pessoais.

surpreso Há 1 semana

RAPAR O TACHO.QUEM VIER A SEGUIR ,QUE RESOLVA

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub