Orçamento do Estado Governo estuda aumento do imposto no vinho

Governo estuda aumento do imposto no vinho

O Executivo estará a estudar um aumento do imposto que incide sobre o vinho, como forma de conseguir mais receita fiscal, avança o Correio da Manhã na edição desta quarta-feira.
Governo estuda aumento do imposto no vinho
Gonçalo Villaverde
Negócios 05 de Outubro de 2016 às 13:50
O Executivo deverá estar a estudar um aumento no imposto sobre o vinho, como forma de arrecadar mais receita fiscal, avança o Correio da Manhã na edição desta quarta-feira, 5 de Outubro. 

O objectivo é compensar a descida do IVA na restauração, que desde meados deste ano baixou de 23% para 13%, e deverá passar por uma subida do Imposto sobre o Álcool e as Bebidas Alcoólicas (IABA) do vinho para o nível que é aplicado à cerveja, explica o jornal.

Esta solução permitirá obter uma receita fiscal superior a 100 milhões de euros por ano, indica o Correio da Manhã.

Neste momento, o vinho está sujeito ao IABA, mas beneficia de uma taxa nula - uma prática que é comum na generalidade dos países produtores de vinho. O Correio da Manhã explica que a cerveja, por seu lado, tem uma taxa de imposto que varia entre 7,98 euros e 28,06 euros por hectolitro, consoante o grau de álcool.

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu esta quarta-feira que o Orçamento do Estado para 2017 ainda não está fechado e que agora é preciso "fazer as contas para que todos estes objectivos se possam casar harmoniosamente". 

Costa adiantou que o Orçamento que está a ser construído obedecerá aos seguintes objectivos: "uma trajectória de reposição de rendimentos, aquilo que é a necessidade da economia de criar melhores condições para que haja investimento, aquilo que é a necessidade das finanças públicas continuarem uma trajectória de consolidação".

Nos últimos anos, as tentativas de vários governos para aumentar a tributação do vinho ou reduzir a taxa de álcool permitida no sangue tiveram a oposição dos produtores de vinho.



A sua opinião55
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado genio2 05.10.2016

Este Primata Monhé Esquerda-lha quer taxar tudo que se mexe, para dar aos parasitas da função pública.

Mas os Portugueses já deviam saber o que ele fiz em Lisboa, taxar tudo.

Já é conhecido pelo taxinhas.

comentários mais recentes
O Sócrates que entregue o que roubou 06.10.2016

Indiano, podes aumentar à vontade. Faço-te o mesmo que faço ao Santana do Euromilhões, gastava 8€, como iria passar a gastar 10€, gast0 5€. Fiz-me entender? Mama, mas com jeito, na 5ª pata do cavalo.

Mr.Tuga 06.10.2016

Que coerência!?!?

Reduz o IVA da restauração para os atrasados da hotelaria e os tvelhadas uristazecos de 3ª beneficiarem e depois vai aumentar o vinho que é essencialmente produzido em tuGal?!?!?

Não seria preferível taxar produtos nocivos, doces, fritos, bebidas brancas importadas, etc

IMBECIS!

Anónimo 06.10.2016

Ahahah um brutal aumento de impostos sem duvida enquanto o povo dorme, está ai o diabo!!!http://observador.pt/2016/10/05/fmi-portugal-com-defice-acima-dos-3-este-ano-e-no-proximo/

Anónimo 06.10.2016

Saraiva 14 das 21:30 completamente de acordo consigo , hoje fiz um comentário sobre o brutal aumento de impostos mas o comuna ou Xuxa que está a ver os comentários deu-o como inválido,Só falta mesmo um imposto sobre as idas a casa de banho!!Faltaram-lhe alguns.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub