Orçamento do Estado Governo prevê taxa de desemprego de 10,4% em 2017

Governo prevê taxa de desemprego de 10,4% em 2017

O Governo está a apresentar as linhas gerais do Orçamento e as previsões macroeconómicas aos partidos da oposição. 
Governo prevê taxa de desemprego de 10,4% em 2017
Miguel Baltazar
Marta Moitinho Oliveira 12 de Outubro de 2016 às 13:09

O Executivo prevê que a taxa de desemprego fique nos 10,4% no próximo ano, com a economia a crescer 1,5%. Os números, que fazem parte do cenário macroeconómico do Orçamento do Estado para 2017, foram divulgados pelo Governo aos partidos no Parlamento. 

 

O ministro das Finanças, Mário Centeno, e o secretário de Estado dos Assuntos parlamentares, Pedro Nuno Santos, estão a reunir-se com os partidos da oposição para apresentar as linhas gerais do documento que o Governo quer aprovar na quinta-feira, 13 de Outubro.

 

A taxa de desemprego deve assim baixar de 11,2% para 10,4%, de 2016 para 2017. 

 

A taxa de crescimento para o PIB que deverá estar no Orçamento será de 1,5%. Este número já tinha sido avançado antes pelo Observador e confirmado pelo Negócios. Este ano, o PIB deverá subir 1,2%. 

 

Depois da aprovação do documento em Conselho de Ministros, o Orçamento deverá ser entregue no Parlamento na sexta-feira. 

De acordo com as informações partilhadas pelo Governo com os partidos, o défice deverá ficar este ano em 2,5% - o limite dado por Bruxelas - e no próximo entre 1,7% e 1,8%.

(Notícia actualizada às 14:55 com informação sobre o défice)




A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


PS ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES


OS FP DEVEM ESTAR MOTIVADOS APENAS POR TER EMPREGO!

Pois estão bem melhor do que as vítimas do SOCRATES GATUNO que endividou o país até à bancarrota, para pagar salários e pensões da FP…

Lançando 500.000 trabalhadores no desemprego!

comentários mais recentes
Irene Neves Há 3 semanas

Eis o grande mistério destes mágicos das contas. Com a economia estagnada, como é possível? Ou vai haver admissão de muuuuiiiiitos funcionários públicos? Ou será na restauração, como resultado da baixa do IVA?

Não acredito na informação deste governo Há 3 semanas

Só por batota isto pode acontecer. Se a economia está parada, como pode aumentar o emprego? Uma coisa joga com a outra. A economia cresce, os empregos aparecem, a economia não cresce, o desemprego aumenta. É dos livros. Milagres, só com batota na estatistica

Anónimo Há 3 semanas



Comemorações Oficiais

FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


AS PENSÕES DOURADAS DA CGA

As reformas mais antigas são as mais elevadas porque tiveram fórmulas mais favoráveis.
São também aquelas em que as pessoas se reformaram/aposentaram com menos idade.
Por isso devem ter os maiores cortes.

Ex: Muitas pessoas reformaram-se/aposentaram-se com 36 anos de descontos e 54 de idade.
Ou seja, muitas dessas pessoas vão estar mais anos a receber a pensão, do que os anos que trabalharam e descontaram.
Basta que vivam até depois dos 90 anos, o que se verifica com cada vez mais pessoas.

Pergunta: Estas pessoas fizeram descontos suficientes para terem a pensão que recebem?

Resposta: Não, nem para metade.


Anónimo Há 3 semanas

Nao fechem (por mim podiam fazelo)a porta a pressa para nao entalar os narizes dos PINOQUIOS.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub