Orçamento do Estado Governo vê PIB a crescer 1,5% em 2017 puxado pela procura interna

Governo vê PIB a crescer 1,5% em 2017 puxado pela procura interna

O Governo acredita que a economia vai acelerar em 2017, mas ainda assim prevê um crescimento menor do que aquele que aconteceu em 2015. A procura interna explica mais de 80% do crescimento.
Governo vê PIB a crescer 1,5% em 2017 puxado pela procura interna
Bruno Simão
Marta Moitinho Oliveira 14 de Outubro de 2016 às 20:43

O Governo prevê que a economia cresça 1,5% em 2017, uma aceleração face à subida do PIB projectada para este ano, mas ainda assim abaixo do crescimento económico alcançado em 2015. A nova previsão consta do Orçamento do Estado para o próximo ano que o Governo entregou esta sexta-feira, 14 de Outubro, no Parlamento.

Esta previsão para 2017 representa uma revisão em baixa face à projecção inscrita no Programa de Estabilidade, em Abril, que apontava para 1,8%. Para este ano, o Governo também corta na previsão, de 1,8% para 1,2%.

Apesar do Governo contar com uma aceleração entre 2016 e 2017 a economia vai crescer ligeiramente abaixo do que se verificou em 2015, quando o PIB aumentou 1,6%.

Segundo as contas do Governo, a procura interna é responsável por mais de 80% do crescimento económico projectado para 2017 e a procura externa contribui com os restantes quase 20%. Já em 2016, a procura interna dá o maior contributo para o crescimento (dá aliás o único contributo positivo), com a procura externa a dar um contributo negativo (de uma décima).   

Do lado da procura interna, as Finanças esperam que o investimento suba 3,1% e que o consumo das famílias aumente 1,5%. Já o consumo público deverá recuar 1,2%.

No que respeita à procura externa, as exportações deverão subir 4,2%, com as importações a aumentar 3,6%.

No caso do investimento, exportações e consumo privado, o Governo revê em baixa as suas previsões face ao Programa de Estabilidade apresentado em Abril.

No entanto, tirando o consumo das famílias e o consumo público, há uma aceleração das componentes do PIB entre 2016 e 2017.

O saldo da balança corrente e de capital mantém um excedente (1,7% do PIB em 2016 e 2,2% em 2017).    

  





(Notícia actualizada às 21:03 com mais informação)




A sua opinião27
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Rui Ferreira Há 2 semanas

este gajo ri ri ri..pudera, não é nada com ele.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


PS . BE . PCP - são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.

Anónimo Há 2 semanas



PS - PCP - BE -- FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


Novas pensões mínimas serão sujeitas a prova de rendimento...

para se gastar mais dinheiros com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

Anónimo Há 2 semanas

se tivessemos continuando com o governo de passos coelho o pais ia estar bem melhor estes vao destruir o trabalho dos outros para depois deixarem a troika ca de novo como fez o socrates e depois os outros e que sao os maus da fita passam sempre a pasta para o seguinte vergonha bandidos corruptos

Nuno Alves Há 2 semanas

Não diziam o mesmo para este ano? Bem dizia o outro, que só os burros acreditam ter resultados diferentes com os mesmos erros =)

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub