Grécia: Sondagem dá vitória ao Syriza com 31,5% dos votos
01 Junho 2012, 14:29 por Ana Luísa Marques | anamarques@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
O partido da Esquerda Radical, que promete rasgar o acordo de resgate, duplica a votação e alcança o primeiro lugar à frente dos conservadores da Nova Democracia.
A última sondagem publicada pelo jornal grego "Kathimerini" antes das eleições de 17 de Junho, apontam para uma vitória clara da Coligação de Esquerda Radical. As intenções de voto aumentaram em 1,5 pontos percentuais face à sondagem publicada na semana passada e dão ao Syriza 31,5%.
O partido de Alexis Tsipras aumenta, assim, a distância para os conservadores da Nova Democracia, que alcançam 25,5% das intenções de voto. Recorde-se que nas eleições de 6 de Maio, o Syriza obteve 16,8% dos votos e a Nova Democracia 18,9%.

Duas outras sondagens, uma publicada pelo "Ta Nea" e outra pelo "Eleftheros Typos", dão uma ligeira vantagem ao Nova Democracia.

De acordo com a sondagem do "Kathimerini", os socialistas do Pasok caem dois pontos percentuais nas intenções de voto para 13,5% (valor muito próximo do alcançado pelo partido nas eleições de 6 de Maio: 13,2%).

Em quarto lugar surge a Esquerda Democrática com 7,5%, seguida pelos Gregos Independentes com 5,5%. Com os mesmos votos aparece o Partido Comunista Grego, enquanto o partido ultranacionalista Aurora Dourada vê a sua votação cair para 4,5%.

Caso se confirme a vitória do Syriza com 31,5% dos votos, o partido alcança 134 lugares no parlamento, a 17 da maioria absoluta.

Maioria dos gregos acredita na vitória da Nova Democracia

O estudo de opinião publicado pelo "Kathimerini" indica, no entanto, que a maioria dos gregos não acredita na vitória do Syriza. Cerca de 58% aposta na vitória do partido de Antonis Samaras e apenas 34% acredita que a Coligação de Esquerda Radical vai vencer.

Fotis Kouvelis da Esquerda Democrática é considerado o líder partidário mais popular, à frente de Alexis Tsipras.

Anular o memorando da troika e congelar cortes de pensões e salários

O líder do Syriza apresentou, esta manhã, o seu Programa de Governo, onde mantém a promessa de rasgar o acordo de resgate. Se vencer as eleições legislativas de 17 de Junho, o partido compromete-se ainda em manter as empresas estratégica sob o controlo do Estado, congelar os cortes de pensões e salários exigidos pela troika.

Tsipras descreveu o programa do seu partido como um "programa de dignidade e esperança".
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: