Saúde Greve dos enfermeiros arranca com sindicatos a estimarem adesão de 80%

Greve dos enfermeiros arranca com sindicatos a estimarem adesão de 80%

Os sindicatos reclamam uma forte participação dos enfermeiros no primeiro turno abrangido pelo período de greve, que se prolonga até sexta-feira. O Governo contesta a legalidade deste protesto.
Greve dos enfermeiros arranca com sindicatos a estimarem adesão de 80%
Ricardo Castelo
Negócios 11 de setembro de 2017 às 09:43

A greve de cinco dias dos enfermeiros arrancou esta segunda-feira, 11 de Setembro, com uma adesão próxima dos 80% durante a noite, adiantou esta manhã a Antena 1, citando os sindicatos que apoiam este protesto considerado ilegal pelo Governo.

 

"Para o turno da manhã, as coisas estão a evoluir no sentido positivo para nós e contamos atingir os 83% a 85%", acrescentou o sindicalista José Azevedo, assegurando ainda que "os doentes têm os serviços mínimos acautelados" e que a paralisação destes profissionais afectará sobretudo os serviços programados, como as cirurgias.

 

Marcada pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE) e pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem, este protesto vai prolongar-se até às 24:00 de sexta-feira, 15 de Setembro. A integração da categoria de especialista na carreira de enfermagem, actualizações salariais e a aplicação plena do regime das 35 horas semanais são as exigências destes profissionais.

 

Na interpretação do Governo, a marcação desta greve foi irregular por não ter cumprido os dez dias úteis necessários ao pré-aviso e a penalização pode passar pela marcação de faltas, como referiu o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

Uma circular da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) informou os hospitais que "eventuais ausências de profissionais de enfermagem neste contexto devem ser tratadas pelos serviços de recursos humanos das instituições nos termos legalmente definidos quanto ao cumprimento do dever de assiduidade".




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ouvi Jerónimo e Catarina 12.09.2017

Depois de ouvir o Oportunista do Jerónimo e da Catarina, a colarem-se aos Grevistas para aproveitar 1/2 de Votos, tive um Desabafo, é por isso que não Voto nestes FP, para Concluir, se os outros são uns FP Piores, o melhor é não Votar.

Anónimo 12.09.2017

Porreiro, se as carrerias de enfermagem, (bachareis) sobem para 2.000 euros, entao os tecnicos superiores devem subir para os 3.000 euros, como na restante UE. BOA!!

Anónimo 11.09.2017

Para o Vergonha: na AP, existem muitos técnicos superiores licenciados em engenharia informática, a exercerem funções de especialista de informática, no entanto o seu ordenado nem de perto , nem de longe é o mesmo dos integrados na carreira informática.Ganham os 1200 e picos brutos da carreira geral

Anónimo 11.09.2017

O presidente do sindicato que seguem, é o mesmo que no tempo das vacas gordas, não negociou a carreira de enfermagem como técnica superior, porque tinham que esperar que todos os auxiliares de enf, passassem a enfermeiros,isso acontecia depois de um curso dado pelo sindicato.

ver mais comentários
pub