Economia Guindos: "Esta ajuda é boa para a economia espanhola e para o futuro da Zona Euro"

Guindos: "Esta ajuda é boa para a economia espanhola e para o futuro da Zona Euro"

Luis de Guindos deu a cara pelo pedido de ajuda para a banca espanhola. Garante que Rajoy não apareceu porque o membro do Eurogrupo é ele. E mais não disse. Recusou-se a falar em resgate. "É um empréstimo com condições muito favoráveis". Acompanhe aqui todos os desenvolvimentos.
Ana Luísa Marques 09 de junho de 2012 às 22:46
22h45 Reacções internacionais ao pedido de ajuda:

Christine Lagarde: "Quero manifestar a minha profunda satisfação pelo anúncio feito pelos membros do Eurogrupo, que complemente as medidas adoptadas pelas autoridades espanholas nas últimas semanas para fortalecer o sistema bancário espanhol."

Durão Barroso e Olli Rehn: "Graças a uma reestruturação profunda do seu sector bancário e à sua determinação nas reformas estruturais e na consolidação orçamental, estamos convencidos que Espanha poderá recuperar a confiança dos investidores e repor as condições para uma recuperação do emprego."

19h44
O ministro das Finanças espanhol confirmou que Espanha solicitou ajuda para o sector bancário. Recusou-se a falar em resgate. "É um empréstimos com condições muito favoráveis", disse.

O valor ascende a 100 mil milhões de euros, confirmou o Eurogrupo, e será canalizado para o Fundo Espanhol de Recapitalização da Banca (FROB). Este "actuará como agente intermediário do governo e será o receptor dos fundos" externos.

Guindos esclareceu ainda que este plano de ajuda não contempla condições macroeconómicas ou orçamentais.

18h38
Como os jornais espanhóis estão a noticiar o resgate a Espanha:

RESGATE A ESPANHA (El País)

Haverá resgate: Espanha pedirá ajuda à União Europeia (Expansión)

Eurogrupo estuda um máximo de 100 mil milhões de euros para a banca espanhola (ABC)

Espanha pede resgate (Cinco Dias)

18h01 O "El País" avança que Espanha vai pedir uma ajuda para o sistema bancário à União Europeia no valor de 100 mil milhões de euros. O FMI irá vigiar o plano de ajuda.

Este plano não deverá contemplar medidas de austeridade, refere a Frande Press.

17h51
Segundo a agência Efe, citada pelo "El "País", Christine Lagarde também participou na reunião do Eurogrupo.

17h46 Já terminou a reunião do Eurogrupo. Será emitido um comunicado às 19h00 (18h00 em Lisboa)

17h42
Está agendada para as 19h30 (18h30, hora de Lisboa) uma conferência de imprensa do ministro das Finanças de Espanha, Luis de Guindos (na foto).

17h33
O "El País" analisa os efeitos dos resgates a Portugal, Irlanda e Grécia. "A qualidade de vida é pior e as economias afundam nos países resgatados"

17h31
O jornal alemão "Der Spiegel" noticia que os presidentes do BCE, do Eurogrupo, da Comissão Europeia e do Conselho Europeu estão a elaborar um plano de reformas que visa reforçar o euro e que inclui uma maior união orçamental.

15h50 Evitar que o resgate se chame resgate. Rajoy nunca admitiu a necessidade de uma ajuda externa ao seu país (e, nem mesmo, à banca). Agora que ela parece inevitável, o governo quer ao máximo minimizar os danos. E evitar que se chame resgate. Para isso a ajuda teria que ser canalizada apenas para o sector – algo que não está previsto nos fundos de resgate do euro – e não para o país.

15h31
O ministro da Indústria espanhol, José Manuel Soria, assegurou que "não está previsto, em nenhum momento, por parte do Governo de Espanha pedir qualquer tipo de ajuda" até que se conheçam os relatórios dos especialistas.

15h19
O resgate à banca espanhola pode ascender a 100 mil milhões de euros, segundo a Reuters que cita duas fontes da União Europeia.

15h12 O "El País" avança que a reunião do Eurogrupo já começou.

14h39
Segundo o "El País", Mariano Rajoy não alterou os planos de viajar amanhã até à Polónia para assistir ao jogo de Espanha contra a Itália.

14h35 A Reuters escreve que os movimentos para pedir um resgate externo intensificaram-se após a Fitch ter cortado o rating de Espanha em três níveis.

A agência estima que a banca espanhola pode precisar entre 60 e 100 mil milhões de euros.

A Europa teme que a situação espanhola se arraste também à economia italiana. O ministro da Indústria de Itália admitiu, recentemente, que a situação económica do país melhorou desde o final de 2011 mas continua crítica.

Corrado Passera criticou as medidas tomadas pela Europa para resolver a crise da dívida. "A Europa foi mais decepcionante do que estávamos à espera", disse o responsável, citado pela Reuters.

A Reuters avança ainda que o resgate a Espanha pode ascender a 440 mil milhões de euros (os resgates à Grécia, Irlanda e Portugal totalizam 336 mil milhões de euros). A ajuda será feita através do Fundo Europeu de Estabilidade.

13h16 Números sobre a banca espanhola

O FMI estima que os bancos espanhóis necessitam de 40 mil milhões de euros para cumprir os requisitos europeus de Basileia III: rácio core tier one de 7%.

Este relatório só deveria ser conhecido esta segunda-feira mas o fundo antecipou a sua divulgação para ontem à noite.

No entanto, há estimativas que apontam para valores mais elevados. Um estudo divulgado ontem pelo Barclays indica que a banca vai precisar entre 70 a 80 mil milhões de euros num cenário base e 126 mil milhões num cenário extremo mas que o banco britânico assume como "plausível".

Faltam ainda conhecer os resultados da auditoria pedida pelo governo espanhol a duas empresas privadas. Estes deverão ser divulgados a 21 de Junho.

Recorde-se que no início de Maio – ainda antes do resgate pedido pelo Bankia - o governo espanhol previa que as necessidades da banca não superavam os 15 mil milhões de euros.

13h02 Alguns números sobre Espanha:


O PIB contraiu 0,3% no primeiro trimestre de 2012 e no último trimestre de 2011, o que deixou a economia em recessão.

As previsões do Banco de Espanha apontam para uma nova contracção no segundo trimestre.

As previsões do Fundo Monetário Internacional indicam que a economia vai cair 4,1% em 2012 e 1,6% em 2013.

A taxa de desemprego atingiu os 24,4%, o nível mais elevado dos últimos 18 anos.

A 7 de Junho, o país pagou uma taxa de juro superior a 6% para emitir dívida a 10 anos.

No mesmo dia, a Fitch cortou o rating do país em três níveis para BBB (dois níveis acima de lixo). No final de Abril, a agência S&P também baixou o rating de Espanha para BBB+.

12h37 Mario Monti, primeiro-ministro de Itália, irá participar na reunião do Eurogrupo, agendada para as 15h00, avança o "El País".

Fontes do Partido Socialista citadas pela agência Efe confirmaram que Mariano Rajoy já falou com o líder do PSOE, Alfredo Pérez Rubalcaba, sobre a possibilidade de um resgate ao país.

Jean-Claude Juncker, presidente do Eurogrupo, apelou a uma "rápida e urgente solução" para Espanha.

(Conteúdo actualizado regularmente consoante a informação divulgada)







A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.06.2012

O Sócrates, descobridor deste caminho foi corrido pelo sr. Silva ajudado pela Santa Alinça: PCs, Bloco e CDS aliados ao PSD. Ninguém se lembrou do Povo, eles recebem os ordenados, até o Belmiro dançava, a arraia miúda leva com os cortes e suporta os desemprego. Entretanto, a direita Espanhola, aproveita. Sócrates, volta estás perdoado.

josé 10.06.2012

Então não é vantajoso! Tomem lá 100mil milhões tomem lá que vós dou eu quando for para pagar logo se vê quem vai amargar.

RMart 10.06.2012


A diferença entre a Espanha e Portugal é que nós temos um povo calminho e submisso que faz greves ao sábado e aos feriados...

A europa reuniu-se de urgência para decidir dar a Espanha 100 Mil Milhões de euros para os Bancos! Sem Obrigação de austeridade!

É que os espanhóis põem o país a ferro e fogo...

As diferenças são muitas. Par eles nós os europeus "portugueses" somos abaixo de lixo, e porquê? Porque devemos isso aos políticos sérios e inteligentes que durante estes últimos 40 anos tivemos a governar o País!!!!!

Foram essas pessoas a quem ainda lhes pagamos prémios milionários por terem construído esta imagem miserável que temos no resto do mundo.

E, ainda vêm com a mentira de que somos um povo bem visto, etc.... Mentira! Nem nos podem ouvir falar, os nossos ministros até têm de baixar a cabeça numa pose de total submissão aos seus colegas Europeus!!!!

MAS O POVO PORTUGUÊS NÃO MERECE ISSO, NÃO MERECE SER TRATADO COMO MULAS DE CARGA!

SÓ COM MUITA LUTA SOCIAL PARA ACABARMOS COM ESTA IDEIA QUE A EUROPA TÊM DE NÓS. SOMOS UM POVO QUE ACALENTA OS LADRÕES E NÃO QUER VIVER A VIDA QUE LHES RESTA SEM DIFICULDADES!

ALGUM DIA ISTO TÊM DE MUDAR, MAS QUANDO???????

RMart 10.06.2012


Afinal de contas quem defendia que devia ser renegociado o resgate desde o inicio tinha razão!

Da esquerda à direita iam-se ouvindo vozes a favor do renegociação mas muitas mais vozes defendiam o contrário!

Ora quando um país não se levanta para lutar contra a ladroagem que nos assaltou durante o tempo da democracia penso que nunca teremos uma democracia séria em favor de todos!

ver mais comentários
pub