Defesa Guterres condena vivamente "escalada perigosa" com míssil da Coreia do Norte

Guterres condena vivamente "escalada perigosa" com míssil da Coreia do Norte

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou vivamente o disparo pela Coreia do Norte de um míssil balístico apresentado por Pyongyang como um míssil intercontinental.
Guterres condena vivamente "escalada perigosa" com míssil da Coreia do Norte
reuters
Lusa 05 de julho de 2017 às 01:04

"Esta acção é uma nova violação das resoluções do Conselho de Segurança e constitui uma escalada perigosa", declarou Guterres em comunicado. Os "dirigentes (de Pyongyang) devem evitar outras ações provocatórias e submeteram-se integralmente às suas obrigações internacionais", acrescentou o secretário-geral.

 

O Conselho de Segurança da ONU deverá reunir-se de urgência esta quarta-feira, tendo em cima da mesa a questão coreana, após o pedido feito pelos Estados Unidos à China, que preside àquele órgão este mês.

 

Relativamente aos pontos de vista divergentes de Pequim e de Washington sobre o dossier norte-coreano, Guterres insistiu na importância de manter a unidade da comunidade internacional, face a este sério desafio".

 

A China é favorável às negociações entre a Coreia do Norte e a comunidade internacional, sujeitas ao desmantelamento por Pyongyang do seu arsenal nuclear, enquanto os EUA mantém que Kim Jong-un e o seu regime devem desde já cessar totalmente os testes de mísseis e os testes nucleares.

 

O míssil balístico lançado terça-feira pela Coreia do Norte voou mais tempo do que qualquer prova de mísseis norte-coreanos levada a cabo até agora, 37 minutos, o que implica que o regime de Kim Jong-un poderia ter a capacidade de atacar o Estado do Alasca.

 

É a primeira vez que Pyongyang logra lançar um míssil com estas características de forma aparatosa, enquanto o Pentágono continua a investigar este lançamento para ter uma análise mais detalhada do ensaio, o 11.º este ano e o primeiro desde 8 de Junho, o qual chegou a voar por 30 minutos.

 

Este novo lançamento já foi condenado por vários países e pela Organização das Nações Unidas, que vai reunir quarta-feira o Conselho de Segurança para analisar a questão e alegadamente impor novas sanções à Coreia do Norte.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 05.07.2017

Eu também considerero, mas a unica diferença é que Guterres é bem pago.

pub