Política Guterres e Sócrates entre os que mais promessas eleitorais cumpriram em 20 anos

Guterres e Sócrates entre os que mais promessas eleitorais cumpriram em 20 anos

Um estudo do ISCTE dado a conhecer pela TSF revela que os Governos anos cumpriram 60% das promessas eleitorais feitas aos cidadãos. O apoio minoritário ou maioritário e a durabilidade dos governos influenciam a taxa de cumprimento.
Guterres e Sócrates entre os que mais promessas eleitorais cumpriram em 20 anos
.
Negócios 17 de janeiro de 2017 às 09:09

Os Governos em Portugal nos últimos 20 anos cumpriram 60% das promessas eleitorais feitas aos cidadãos. O valor consta de um estudo do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, dado a conhecer esta terça-feira, 17 de Janeiro, pela TSF e que abrange seis executivos entre 1995 e 2015.

Em média, foram cumpridas totalmente cerca de metade das promessas eleitorais enquanto 10% foram-no parcialmente. Assim, ficaram por cumprir 40%.


De acordo com o documento, o primeiro executivo de António Guterres (1995-1999) foi o que cumpriu maior percentagem de promessas, apesar de ter apoio minoritário na Assembleia da República, com cerca de 85% total ou parcialmente realizadas.


A seguir na lista está o primeiro governo de José Sócrates (2005-2009), que cumpriu quase 80% das promessas feitas e o de Passos Coelho (2011-2015) com uma taxa de cumprimento próxima dos 60% apesar de o período coincidir com as medidas de austeridade resultantes da presença da "troika" no país.


Os governos com menos tempo de duração - o segundo governo de Guterres (1999-2002) e os dois executivos PSD/CDS liderados por Durão Barroso e Santana Lopes – apresentaram as as taxas de cumprimento mais baixas: respectivamente 45% e 30%.


A investigadora do ISCTE que liderou este estudo, Ana Maria Belchior, considera que "os governos portugueses até têm dos melhores desempenhos no cumprimento de promessas" e que a percepção de não cumprimento advém do facto de não ser cumprido "aquilo que é realmente importante para as pessoas", pelo que "estas extrapolam que tudo o resto também não é cumprido".


Os bons resultados dos governos minoritários, como o primeiro de António Guterres, revelam de acordo com a investigadora que "os governos minoritários, que têm de negociar, tendem a ter um desempenho particularmente bom no cumprimento de promessas e melhor do que os governos de coligação".




A sua opinião53
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.01.2017



EMIGRAÇÃO FORÇADA

Os Portugueses foram obrigados a emigrar devido à bancarrota do Socrates! …

e ao brutal aumento de impostos, ordenado pelo TC, para sustentar os privilégios dos FP e CGA.

(claro que os xux.as e FP tentam esconder esta realidade)

comentários mais recentes
Anónimo 18.01.2017

A famosa "bancarrota".
A hora esse fantasma atirado como bomba atómica em tudo o que é comentário dos direitolas.
Mas basta ver a evolução da dívida no tempo de Sócrates, que foi alta e compará-la com a de Passos Coelho, que subiu exponencialmente.
Expliquem lá como é que 94% é mais do que 130%.

Anónimo 18.01.2017

Mais um estudo vindo da madraça xuxalista do ISCTE.

pertinaz 17.01.2017

CLARO.... OS HERÓIS DA BANCARROTA !!!

O ISCTE não merece ser considerado universidade 17.01.2017

O estudo vergonhoso mostra que os que nos roubaram, continuam a jogar-nos terra para os olhos, para nos continuarem a roubar!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub